Governo e parceiros assinam memorando para a protecção da Palanca Negra
21-09-2006 | Fonte: Angop
Um memorando de entendimento para a protecção e preservação da Palanca Negra Gigante foi assinado esta quarta-feira, na província de Malanje, entre o Ministério do Urbanismo e Ambiente, o Governo local e a Universidade Católica de Angola.

O facto inseriu-se na Conferência Internacional Sobre a Palanca Negra Gigante, realizada na manhã de hoje naquela parcela do território nacional, que teve como objectivo essencial a troca de experiências entre pesquisadores nacionais e estrangeiros que fazem ou já fizeram trabalhos sobre o antílope.

Na abertura do evento, o ministro do Urbanismo e Ambiente, Sita José, realçou a importância da assinatura deste memorando, que formaliza a parceria técnica e científica entre as três instituições, indicando que vai se dar especial atenção a participação das comunidades sedeadas nas áreas onde se encontra o referido animal e a expectativa delas beneficiarem dos recursos resultantes da gestão do parque e da exploração do turismo ecológico.

O governante justificou a assinatura do protocolo pelo facto de a Palanca Negra Gigante, redescoberta em 2005, correr riscos de extinção.

Segundo referiu, as abordagens mais recentes da preservação e utilização sustentável dos recursos naturais da biodiversidade indicam que se priorize a conservação dos ecossistemas e habitats particulares.

"A existência em Angola de vários parques nacionais e reservas naturais integrais nos obrigam a observância desta recomendação da comunidade científica internacional e a preservação da Palanca Negra Gigante", enfatizou o ministro Sita José.

Anunciou, por outro lado, a nomeação de um administrador do Parque Nacional da Cangandala, a quem serão entregues meios indispensáveis para o exercício das suas funções.

A delegação do Ministério do Urbanismo e Ambiente entregou alguns meios para os pastores da Palanca e fiscais, para facilitar a mobilidade deles.

Por seu lado, ao falar no encerramento do fórum, o cardeal Alexandre do Nascimento destacou as qualidades da Palanca Negra Gigante e o orgulho que se sente pela preservação de uma espécie da fauna angolana.

Solicitou aos promotores do projecto para que trabalhos do género sejam extensivos a outras espécies da fauna e da flora angolana como, por exemplo, a Welvithia Mirabilis.

A aludida conferência realizou-se no contexto do projecto sobre a Palanca Negra Gingante que iniciou em Setembro de 2003, numa iniciativa do Centro de Investigação Científica da Universidade Católica de Angola e que conta com o apoio do Ministério do Urbanismo e Ambiente, da Universidade Agostinho Neto e do Governo da província de Malanje.

O evento esteve dividido em dois painéis, sendo o primeiro sobre "A Palanca Negra Gigante de Angola - importância, distribuição e situação actual", e o segundo sobre "Os efeitos da guerra sobre os animais e ecossistemas - Estratégias para a protecção da Palanca".

Participaram do mesmo o Presidente do Tribunal de Contas, Julião António, autoridades tradicionais de Malanje, entre outros convidados.

A comitiva multi-sectorial, que se deslocou a Malanje para participar na Conferência Internacional Sobre a Palanca Negra Gigante, prevê regressar esta tarde a Luanda.
 
Comentários
Quer Comentar?
Nome E-mail ou Localização
Comentário
Aceito as Regras de Participação