Lobito há mais de uma semana sem água potável
19-12-2006 | Fonte: VOA
A cidade do Lobito está sem água potável há cerca de duas semanas, o que está a provocar sérios transtornos à vida dos seus habitantes. O cenário nesta localidade é característico duma terra afectada por uma crise de água, onde logo pela manhã a população calcorreia de cima para baixo, percorrendo quilómetros com recipientes à cabeça procurando este precioso líquido.

As duas bacias que conseguem com muito sacrifício apenas serve para cozinhar e beber. Agastada com a situação, Rodrina Maria disse à VOA que antes conseguiam a água para beber com 5,10 ou 15 Kwanzas, mas agora com esta falha no abastecimento de água só é possível comprá-la com a 50 Kwanzas.

«Eu aqui estou à procura da água há duas semanas, estamos a procurar mesmo nas cacimbas e acarretar água com 50» disse esta cidadã.

Para Maria, a água que consegue é pouca e «já não chega, não chega, assim pelo menos a pessoa consegue duas banheiras só para o consumo». Entretanto a VOA procurou ouvir a direcção de Águas e Saneamento do Lobito, mas não obteve sucessos.

Por outro lado, o governador da província de Benguela, Dumilde Rangel, disse nesta segunda-feira que a central térmica da Kileva já não entrará em funcionamento este ano como se previa, alegando uma avaria registada durante o período de ensaio.

Rangel informou que isto condicionou a entrada em funcionamento da Estação de Tratamento de Água do projecto Águas de Benguela que estava prevista para 15 de Dezembro do presente, garantidas que estavam a conclusão das obras na Estação de Bombeamento de Água Bruta, com uma capacidade para tratar mil litros por segundo.

Aquele governante assegurou não haver outras alternativas, justificando-se, por outro lado, que as obras de colação das linhas de transporte de energia eléctrica para o projecto Águas de Benguela ainda não foram concluídas, alegando, no entanto que , as referidas linhas atravessam áreas inóspitas, dificultando deste modo os trabalhos dos técnicos.

De realçar que o projecto Águas de Benguela prevê beneficiar mais de 3 milhões de habitantes e a central térmica da Kileva conta com uma capacidade de cerca de 80 megawatts.

Ao que tudo indica, a província de Benguela pode vir a passar a quadra festiva sem energia eléctrica e com problemas de água potável, mas isto não surpreende os seus habitantes, porque já se tornou uma tradição dum povo que depois de quatro anos paz continua a viver os mesmos problemas que no tempo de guerra.
 
Comentários
Quer Comentar?
Nome E-mail ou Localização
Comentário
Aceito as Regras de Participação