Parlamento pode travar as testemunhas de Jeová
22-01-2007 | Fonte: Agora
Apesar de o sangue ser essencial para a vida de todos os seres humanos, algumas ceitas religiosas continuam a opor-se contra a transfusão de sangue, facto que tem levado a morte de muitas pessoas em várias instituições hospitalares espalhadas um pouco por todo país.

Preocupada com a situação e por formas a reverter o quadro, a Assembleia Nacional vai levar à discussão, nos próximos dias, a proposta de um diploma que irá apoiar a Lei nº 8,de 2004, que tem a ver o HIV/SIDA.

Trata-se de um documento que vai substituir todos os instrumentos jurídicos já existentes, no caso evitar que o paciente não deixe de receber sangue por questões religiosas.

Segundo fontes do semanário «Agora», outros aspectos ligados à sanidade de sangue poderão ser também tratados em lei. Com base neste instrumento jurídico poderão ser ainda adoptadas outras formas de actuação, tanto dos membros da sociedade, bem como dos técnicos de saúde perante a vida de outros cidadãos.

A recusa de dar sangue a um paciente que o necessita é considerado como crime por alguns parlamentos e pessoal médico, mas a lei vigente não prevê sanções para este tipo de atitudes e, como consequência acabam-se por se perder vidas humanas.

O assunto, para alem do plenário, vai merecer uma discussão pública de forma a envolver vários actores da sociedade.

Apesar de algumas divergências de opinião, algumas pessoas ouvidas por aquele jornal da capital, considerarão a medida oportuna.

A Assembleia de Deus Pentecostal, por exemplo, é a favor da transfusão de sangue. Para àquela instituição religiosa, dar «sangue é salvar vidas», razão pela qual a igreja tem um grupo de doadores que, duas vezes por ano doam sangue para as pessoas necessitadas.

A igreja Universal do Reino de Deus, neste momento, pelo menos a nível da capital do país, é a maior organização doadora de sangue. Ela através da ABC, uma das organizações criadas para o efeito, tem mobilizado pessoas de três em três meses para doar sangue.

Para aquela igreja, o pecado à volta de tudo isto, é uma pessoa ver a outra a morrer sem fazer nada.
 
Comentários
Quer Comentar?
Nome E-mail ou Localização
Comentário
Aceito as Regras de Participação
Foto-Destaque
Foto-Destaque
Questionário