Jonas Savimbi foi morto há cinco anos
22-02-2007 | Fonte: Diario digital
Jonas Malheiro Savimbi foi morto há cinco anos, numa acção montada pela tropa angolana que culminou o declínio que vinha afectando a luta armada da UNITA e mudou a face do país.

A morte de Jonas Malheiro Savimbi, fundador e líder da UNITA, em 22 de Fevereiro de 2002, começou a desenhar-se muito antes, quando da tentativa de tomada de assalto da capital provincial do Bié, Cuito (antiga Silva Porto), palco de encarniçados combates em meados da década de 1990.

As tropas da UNITA chegaram a sitiar Cuito, sem conseguir, no entanto o seu controlo.

A partir daí assistiu-se a um inverter da tendência do conflito, com as Forças Armadas Angolanas (FAA) a recuperarem o terreno perdido numa contra-ofensiva que se foi alargando até ao golpe decisivo: a tomada de Andulo, no Bié, localidade estratégica onde a UNITA tinha o seu quartel-general.

Jonas Savimbi e as suas tropas acabaram por se retirar para o Bailundo, província de Huambo, de onde também tiveram de fugir semanas depois.

Os rebeldes viram-se obrigados depois a uma marcha forçada, em condições muito precárias, até à província do Moxico, no leste do país, junto à fronteira com a Zâmbia, procurando auxílios externos ou, em último caso, o exílio.

Na perseguição à UNITA, as FAA transferiram o seu posto de comando, avançado da Catumbela, na província de Benguela, no litoral- sul, para a cidade do Luena, capital do Moxico.

Enquanto a guerra seguia o seu curso, o governo de Luanda fazia apelos à rendição de Savimbi e dos seus homens, ameaçando-os com a captura ou a morte em combate.

Mesmo com as sucessivas baixas entre as suas forças, o líder do Galo Negro recusou sempre as propostas de Luanda.

Em resposta, o governo enviou forças de operações especiais do exército e de intervenção rápida da Polícia Nacional com o único fim de capturar Jonas Savimbi.

Depois de muitas semanas de perseguição, os homens chefiados pelo general Uala conseguiram os seus intentos a 22 de Fevereiro de 2002, quando o líder e fundador da UNITA, Jonas Malheiro Savimbi, morreu em combate na localidade de Locusse, província do Moxico, depois de um cerco de vários dias.

Os seus restos mortais foram sepultados no cemitério municipal do Luena, onde ainda jazem, mas a UNITA e os seus familiares querem a sua trasladação para a sua terra natal, Andulo, na província do Bié, planalto central de Angola.
 
Comentários
Quer Comentar?
Nome E-mail ou Localização
Comentário
Aceito as Regras de Participação