Fábrica de carros em Luanda começa a produzir em Outubro
10-07-2007 | Fonte: Jornal de Angola (Mateus Cavumbo)
Angola vai fabricar, a partir de Outubro deste ano, novos carros da marca CSG "Made in Angola", com a tecnologia japonesa Nissan, num investimento de 30 milhões de dólares. A fábrica, cujas obras decorrem em Viana (no quilómetro 28), é uma aposta do Fundo Internacional da China (CIF) que criou a CSG Automóvel - Angola, a detentora da marca. O investidor prevê lançar o automóvel, made in Angola, no final deste ano.

Com uma capacidade de produção de 5 mil carros por ano (com previsão de se chegar aos 30 mil veículos), a fábrica vai produzir carros de tipos Pick-Ups (carrinhas), SUVs (jeeps) e MPV (carro de passageiros multi-uso) e autocarros de pequeno, médio e grande porte, além de carros especiais modelados.

Além dos SUVs e Pick-Up, todos utilizam a tecnologia Nissan, tendo dois tipos de motores nomeadamente Nissan KA24DE à gasolina e Nissan a Diesel QD32T, bem como uma tracção de quatro rodas. O carro MPV baseia-se no Nissan Serean. Do modelo a ser lançado consta ainda o Oting a diesel e a Paladin a gasolina.

Este último tem motor Nissan QD32T, com tecnologia turbo, alta potência, baixo consumo de diesel, podendo chegar à frequência de 80.9KW. A fábrica ocupa uma área de 840 mil metros quadrados, tendo os trabalhos da construção da primeira fase iniciados em Abril último, com o seu término previsto para Setembro próximo.

A empreitada está a ser desenvolvida intensamente a fim de se cumprir com os prazos estabelecidos, segundo o responsável pelas Vendas e Marketing da CSG Angola, Wu Hu Ming, para quem a estrutura de aço da fábrica já está preparada, aguardando apenas pela sua montagem.

Wu Ming avançou ter sido feita já a encomenda de 50 autocarros por parte da transportadora privada a Macon, pelo que apela às demais empresas do mercado a seguirem o exemplo. "Os clientes que encomendarem os carros irão se tornar os VIP, além de poderem a vir adquirir os carros a um preço módico", garante.

A CSG terá uma rede de serviços espalhados por todo país. Nesta fase, decorre o processo de recrutamento de revendedores. "Esperamos que todos os revendedores qualificados, com interesse nos produtos da CSG, se possam juntar ao nosso grupo", convida Wu Ming, acrescentando que a estratégia da empresa consiste em oferecer uma rede de vendas e de serviços de qualidade.

Quando a fábrica for erguida vai empregar 300 trabalhadores, 70 por cento dos quais mão-de-obra nacional. Neste momento, aguarda-se pelo arranque do processo de recrutamento para o envio dos primeiros 50 angolanos para formação na China, uma empreitada que durará três meses.

A CIF e a CSG estão a discutir com o Governo, a modalidade de contratação dos futuros trabalhadores. A primeira fase da fábrica vai comportar, escritórios, dormitório, loja 4S (serviços e vendas), linha de produção de pick - ups, autocarros e refeitório.
 
Comentários
Quer Comentar?
Nome E-mail ou Localização
Comentário
Aceito as Regras de Participação
Foto-Destaque
Foto-Destaque
Questionário
Quais os motivos que levaram Angola a obter resultados negativos na corrida ao CAN 2015
  • Os adversários são mais fortes
  • Falta jogadores de qualidade
  • Problemas administrativos
  • Equipa Técnica