Andebol: Angola acolhe segundo Africano sob signo da luta contra drogas
07-01-2008 | Fonte: Angop
Depois de ter organizado o primeiro "africano" de andebol em 1985, Angola mobiliza-se agora para receber de 08 a 17 deste mês a 18ª edição do evento, qualificativo aos Jogos Olímpicos de Pequim2008, tendo como "pano de fundo" o combate ao consumo de drogas.

Sem grande histórico na competição masculina, os angolanos depositam todas as esperanças no conjunto feminino, que reúne não só o maior número de títulos em África (oito), como também detém o ceptro há cinco anos consecutivo.

Apesar disso, Beto Ferreira, o técnico masculino, levou quase um mês a preparar a equipa na Europa (Portugal e Alemanha), com vista a melhoria do quarto lugar obtido na edição transacta.

Embora o objectivo seja o pódio, a selecção nacional sénior masculina, integrada no Grupo A, com sede em Cabinda, não terá tarefa fácil, em face do “peso” dos seus adversários, mais habituados em provas do genéro, mundiais, Jogos Olímpicos e outros torneios de prestígio.

Ainda assim, Angola tentará lutar pelo “passe” à fase seguinte, ao lado da Tunísia, favorita à conquista do título, Camarões e Congo.

Enquanto a expectativa permanece sobre as possibilidades da equipa masculina transitar para a segunda fase do campeonato, o mesmo não sucede com a equipa feminina, que procura o primeiro ceptro em território nacional, após ter falhado em 1985 quando albergou o evento.

Sobre as pupilas de Jerónimo Neto pesa a responsabilidade de vencer todos os jogos e garantir, sem sobressaltos, o nono título e o “passaporte” para Pequim2008, em Setembro.

Só um “desastre” evitará que as octocampeãs africanas triunfem em casa, pois a equipa tem capacidade competitiva de sobra. O respeito e humildade para com os adversários deverão estar patentes no plantel, que se manifesta confiante depois dos últimos resultados conquistados no Mundial2007, em França (sétimo lugar), e no torneio internacional da suíça (primeiro lugar).

Com esses indicadores, as duas representações nacionais estão preparadas para justificar o investimento feito pela Federação Angolana de Andebol, que chamou a si a responsabilidade de organizar o evento e com ele tentar manter a hegemonia da modalidade em femininos, relançando a formação masculina no continente “berço” da humanidade.

Para garantir o êxito da competição, o Comité Organizador (Cocan) tem disponível um orçamento avaliado em 17 milhões de dólares norte-americanos e mais de 10 mil agentes da Polícia Nacional no asseguramento da prova, prevista para as cidades de Luanda, Cabinda, Benguela, Lubango e Huambo.

Por isso, enquanto em masculinos Angola tenta realizar o sonho de medalhar em casa e em femininos busca o nono troféu, a estrutura organizativa aguarda apenas pelo arranque, pois os modernos pavilhões multiusos, palcos do Afrobasket2007 e da Taça dos Clubes Campeões Africanos, estão à espera da festa e o público ansioso por mais um triunfo das selecções anfitriãs.

O sorteio colocou Angola no Grupo A (femininos), sediado em Benguela, com o Gabão, Argélia e Congo, ao passo que a equipa masculina está no A (Cabinda) com a Tunísia, Camarões e RD Congo.
 
Comentários
Quer Comentar?
Nome E-mail ou Localização
Comentário
Aceito as Regras de Participação