Angola volta aos dois milhões de barris
16-10-2008 | Fonte: Jornal de Angola
Angola, que superou a Nigéria como maior produtor africano de petróleo, está agora a produzir 1,959 milhões de barris por dia e espera atingir os dois milhões nas próximas três semanas, segundo um responsável da Sonangol.

“Angola atingiu os dois milhões de barris de crude por dia no dia 2 de Maio deste ano”, afirmou Francisco Lopes da Cunha, responsável geofísico da Sonangol, numa conferência na África do Sul. “Dentro de três semanas estaremos de volta ao nível dos dois milhões”, acrescentou, citado pela Bloomberg.

O petróleo de Angola foi responsável por cerca de cinco por cento das importações totais de crude por parte dos EUA em 2007, o que correspondeu a 496 mil barris por dia, de acordo com a Energy Information Administration norte-americana.

Segundo Francisco Lopes da Cunha, a produção de Angola deverá começar a diminuir a partir de 2015 e fixar-se em torno dos 2,1 milhões de barris por dia. Mas até lá, deve manter um nível que excederá os dois milhões, afirmou o responsável.

Esta semana a Sociedade Nacional de Combustíveis de Angola (Sonangol EP) anunciou a perfuração com sucesso de dois poços petrolíferos. Trata-se do poço Dione-1, no Bloco 31 e do Ngoma-1 no bloco 15/06, localizado a cerca de 350 quilómetros de Luanda.

A primeira constitui a décima sexta descoberta que a BP efectua no Bloco 31, a aproximadamente nove quilómetros a Sudoeste do campo de Juno. O poço Dione-1 foi perfurado a mil e 696 metros de profundidade de lamina de água, acerca de 390 quilómetros a Noroeste de Luanda e atingiu uma profundidade total de três mil e 272 metros abaixo do nível do mar. Os resultados dos testes deste poço indicam uma capacidade de produção de mais de cinco mil barris de petróleo por dia.

A Sonangol EP é a concessionária do Bloco 31 e detém 20 por cento de participação, enquanto a BP Exploration (Angola) Limited, como operador, detém 26,67 por cento de participação.

Já os seus parceiros no bloco -a ESSO Exploration and Prodution Angola (Block 31) Limited tem uma participação de 20 por cento e a Statoil Angola A.S, subsdiária da StatoilHydro ASA, detém uma participação de 13,33 por cento.

A Marathon International Petroleum Angola Block 31 Limited detém acções na ordem dos dez por cento e a TEPA Limited está com cinco por cento.

O poço de descoberta Ngoma-1, localizado a cerca de 350 quilómetros de Luanda, foi perfurado numa lâmina de água de 1,42 metros até à profundidade total vertical de 3,34 metros, encontrando uma coluna de petróleo de 127 metros sem areias do Miocénico com alta permeabilidade.

A ENI opera no Bloco15/06 com 35 por cento e a Sonangol é a concessionária. Os outros parceiros são a Sonangol Pesquisa e Produção AS (15 por cento), SS Fiffteen Limited (20 por cento), TEPA (Block 15/06), Total (15 por cento), Falcon Oil Holding Angola As (cinco por cento), Petrobras Internacional Braspetro B.V (cinco por cento) e Statoil Angola Block 15/06 Award AS (cinco por cento).

O bloco foi adjudicado em Novembro de 2006 após um concurso público internacional caracterizado por um elevado nível de concorrência.
 
Comentários
Quer Comentar?
Nome E-mail ou Localização
Comentário
Aceito as Regras de Participação
Foto-Destaque
Foto-Destaque
Questionário
A CASA de Abel Chivukuvuku:
  • Vai reforçar a prática da democracia
  • Não vai trazer nada de novo
  • Vai retirar eleitorado ao MPLA
  • Vai retirar eleitorado a UNITA
  • Vai retirar eleitorado ao MPLA e a UNITA