China e Angola assinam acordo para início de vôos regulares
17-12-2008 | Fonte: Lusa
As duas maiores companhias aéreas de Angola e da China pretendem organizar vôos regulares entre os dois países a partir de 2009, no âmbito de um acordo assinado nesta quarta-feira em Pequim e que reflecte o aumento dos contactos bilaterais.

O acordo foi um dos quatro assinados no Grande Palácio do Povo com a presença dos Presidentes angolano, José Eduardo dos Santos, e chinês, Hu Jintao, e que contemplaram também as áreas da cultura e cooperação económica e técnica.

A cerimónia marcou o segundo dia da visita oficial de José Eduardo dos Santos à China, que ocorre até sexta-feira, e cuja comitiva inclui três ministros (Relações Externas, Transportes e Finanças).

Segundo fontes angolanas, “há chineses a trabalhar em todas as 18 províncias de Angola” e este ano a embaixada em Pequim já concedeu mais de 40 mil vistos.

“A cooperação com a China é óptima”, disse aos jornalistas o embaixador de Angola em Pequim, Manuel João Bernardo.

Sábado passado, um avião da TAAG já voou directamente de Luanda para Pequim, numa viagem de cerca de 13 horas, e segundo adiantou fonte angolana, numa primeira fase, os vôos regulares terão uma periodicidade semanal.

Esta é a segunda viagem de Eduardo dos Santos a Pequim desde os Jogos Olímpicos, em Agosto passado, e a terceira visita de estado em duas décadas.

De acordo com o protocolo chinês, bandeiras de Angola e da China foram hasteadas hoje na mítica Praça da Paz Celestial, a maior praça do mundo, no centro de Pequim.

O principal telejornal da CCTV (Televisão Central da China), transmitido diariamente às 19 horas (9h de Brasília), abriu com a visita de Eduardo dos Santos e imagens do seu encontro com o Presidente chinês.

Devido às suas exportações de petróleo para a China, Angola é hoje o maior parceiro comercial africano do país asiático.

Por outro lado, grandes empresas chinesas estão envolvidas no programa angolano de reconstrução nacional, que conta, aliás, com um financiamento de Pequim estimado em US$ 5 bilhões.

Pelas contas do Fórum para a Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa, organismo com sede em Macau, criado em 2003, nos primeiros nove meses deste ano o comércio sino-angolano somou US$ 20,8 bilhões, um aumento de 126,2% em relação ao mesmo período de 2007.
 
Comentários
Quer Comentar?
Nome E-mail ou Localização
Comentário
Aceito as Regras de Participação
Foto-Destaque
Foto-Destaque
Questionário