O juramento da revolução negra no Haiti foi redigido em Kikongo
31-03-2009 | Fonte: Apostolado
Chamava-se o «juramento de Bois Caïman», estava escrito em kikongo e era pronunciado pelos actores da primeira revolução negra no Haiti.

A descoberta é do gigantesco projecto multinacional de investigação “A rota dos escravos”, em curso de execução sob o patrocínio da UNESCO.

O vice-presidente do projecto é o historiador angolano Simão Sindouila, que divulgou a informação através de num comunicado recebido hoje por Apostolado.

A informação baseia-se na descoberta feita pelo investigador brasileiro, Araújo, contando uma das constatações que o surpreendeu durante as numerosas missões de pesquisa no Caribe.

«No Haiti, constatei que o juramento de Bois Caïman, que disparou a revolução negra, foi redigido em língua Kicongo ou variante», sustentou o investigador brasileiro.

Demais surpresas de mesma índole foram em Cuba, Trinidad e Suriname.

«Em Trinidad e em Suriname, ouvi também o "papimiento", que é a língua crioula deles, que é uma mistura do holandês com o português e línguas congo-angolanas», testemunhou o mesmo cientista.

A revolução negra no Haiti começou em 1791, liderada por Toussaint L’Ouverture, capturado em 1802 pelas tropas coloniais e desterrado em França.

Toussaint morre em França, mas o Haiti conquista a independência em 1 de Janeiro de 1804, sob a liderança do seu sucessor, Jean-Jacques Dessaline, um ex-escravo.
 
Comentários
Quer Comentar?
Nome E-mail ou Localização
Comentário
Aceito as Regras de Participação
Foto-Destaque
Foto-Destaque
Questionário
A CASA de Abel Chivukuvuku:
  • Vai reforçar a prática da democracia
  • Não vai trazer nada de novo
  • Vai retirar eleitorado ao MPLA
  • Vai retirar eleitorado a UNITA
  • Vai retirar eleitorado ao MPLA e a UNITA