Como travar a onda dos dramas sociais e violência doméstica em Angola?
22-05-2009 | Fonte: TPA
As manifestações lactentes de cada indivíduo, devem ser analisadas para melhor compreensão, a fim de se travar previamente os fenómenos sociais, ocorrências violentas e chocantes, que muito têm preocupado a sociedade angolana nos últimos tempos.

Esta constatação foi feita pela Socióloga Kezita Mixinge, a margem do Encontro realizado pelo Ministério da Família e Promoção da Mulher, que serviu para recolher contribuições de especialistas, técnicos de ciência humanas, representantes da sociedade civil e de Igrejas, no processo de inversão deste quadro Moral, cívico e familiar dramático.

“É uma preocupação, sabermos porquê que um pai viola a própria filha, porquê que um indivíduo ao conduzir pela Rua, passa mesmo diante do sinal vermelho”, indagou a socióloga, a Reportagem da TPA.

Entretanto, a Psicóloga Gabriela Palhares, defendeu que para termos uma sociedade sã é preciso que haja rigor na educação académica, bem como na informação e sensibilização, visto que, muitas das vezes o analfabetismo cria situações em que se verifica a falta de valores morais.

Por fim, a titular da pasta da Família e Promoção das Mulher, concorda que a Igreja desempenha um papel reparador e preventivo no que toca aos casos de violência doméstica.

“Vamos pedir as mulheres das Igrejas, que se unam em oração pela moral, pela ética, pelo reforço das relações familiares, para que tenhamos famílias bem estruturadas”, concluiu.
 
Comentários
Quer Comentar?
Nome E-mail ou Localização
Comentário
Aceito as Regras de Participação