Mais de uma dezena de pessoas abandonadas no hospital psiquiátrico
17-08-2009 | Fonte: Angop
O hospital psiquiátrico de Luanda tem mais de uma dezena de ex-pacientes rejeitados pelos seus familiares e que necessitam de ser reinseridos na vida social, informou hoje, na capital do país, a sua directora-geral, Antónia de Sousa.

Antónia de Sousa prestou esta informação à imprensa no final de uma palestra sobre “Ética e Deontologia na Saúde” e referiu que a sua instituição tem um área social que se encarrega da socialização dos ex-pacientes, mas tem se debatido com a rejeição por parte de alguns familiares.

Segundo ela, estão internados actualmente 318 enfermos, número acima da capacidade do mesmo que é de 150, tendo como alternativa a construção de naves provisórias, enquanto decorrem as obras de ampliação e melhoria do hospital.

“Do número de internos, mais de uma dezena já está curado, mas como o hospital não lhes pode pôr na rua aguardam por um acolhimento num lar de terceira idade, para os idosos, ou de infância para os pequenos, porque os seus familiares lhes rejeitam, sendo este o problema maior”, disse.

Acrescentou que diariamente a unidade hospitalar recebe uma média de 95 a 110 pacientes dia, ao contrário dos anteriores 20 e 30, respectivamente, devido a campanha de recolha nas ruas de pessoas que padecem de transtornos mentais, num trabalho conjunto com a Polícia Nacional.

O hospital que não tem falta de fármacos (psicotrópicos) e alimentação para os pacientes, conta com 269 trabalhadores dos quais 13 médicos.
 
Comentários
Quer Comentar?
Nome E-mail ou Localização
Comentário
Aceito as Regras de Participação
Foto-Destaque
Foto-Destaque
Questionário
Quais os motivos que levaram Angola a obter resultados negativos na corrida ao CAN 2015
  • Os adversários são mais fortes
  • Falta jogadores de qualidade
  • Problemas administrativos
  • Equipa Técnica