PUBLICIDADE
ENANA: Programa de refundação só em 2010
29-12-2009 | Fonte: Angop
O ministro dos Transportes, Augusto Tomás, declarou neste em Luanda, que o processo de "refundação" da Empresa Nacional de Exploração de Aeroportos e Navegação Aérea (ENANA) deve iniciar em 2010.

Augusto Tomás intervinha numa cerimónia que antecedeu a visita do Presidente da República, José Eduardo dos Santos, às instalações do aeroporto internacional "4 de Fevereiro", que beneficiou de obras de remodelação e expansão.

Informou que os programas de refundação da transportadora aérea (TAAG), em curso, a reestruturação do Instituto Nacional de Aviação civil (INAVIC) se enquadram na visão global de gestão do sistema de transportes aéreos.

Com efeito, sublinhou que os esforços devem abarcar os sectores empresariais, supervisão, fiscalização e controlo das infra estruturas aeroportuárias.

O governante referiu-se ainda do programa de reabilitação e modernização de cerca de 30 aeródromos e aeroportos, envolvendo a construção de novas aerogares de três novos aeroportos internacionais a Norte, Centro e Sul do país.

Adiantou que o programa é plurianual "e, na medida em que os projectos forem sendo concluídos, o país contará com aeroportos e aeródromos com muito maior capacidade permitindo a realização das operações de mobilidade de passageiros e cargas, com maior segurança, conforto e rapidez".

Para o governante, os aeroportos são infra-estruturas importantes para o desenvolvimento económico e social de qualquer país, daí a necessidade de melhorar a sua organização e gestão.

Manifestou igualmente a necessidade da formação de quadros angolanos para os desafios da modernidade dos transportes aéreos, esperando que as empresas e as instituições públicas estejam bem apetrechadas e equilibradas na sua força de trabalho.
 
Comentários
Quer Comentar?
Nome E-mail ou Localização
Comentário
Aceito as Regras de Participação
Foto-Destaque
Foto-Destaque
Questionário
Quais os motivos que levaram Angola a obter resultados negativos na corrida ao CAN 2015
  • Os adversários são mais fortes
  • Falta jogadores de qualidade
  • Problemas administrativos
  • Equipa Técnica