Western Union lidera negócio de transferências de dinheiro para o exterior
08-02-2010 | Fonte: Jornal de economia
Líder neste negócio, a Western Union, através do Banco Millennium Angola, movimentou durante o ano de 2009 cerca de 570 mil milhões de kwanzas em transferências internacionais de divisas, o que equivale a cerca de USD 5.700 milhões.

Com uma rede de 13 balcões no país e mais de 334 mil postos de venda de agentes em mais de 200 países e territórios, o Millennum e o Banco de Comércio de Indústria (BCI) são os únicos representantes em Angola da companhia inglesa de transferências internacionais.

Em Angola, além da Western Union, que representa cerca 60% de transferências enviadas e recebidas, operam outros agentes com credibilidade de efectuarem as transferências internacionais de divisas. São os casos da multinacional Money Gram Internacional, representada pelo Banco de Poupança e Crédito (BPC) e o Banco Sol, bem como da agência portuguesa Real Transfer.

A Money Gram Internacional, com 31 balcões disponíveis em todo país, apesar da grande popularidade no mercado de transferências mundial de divisas, surgiu apenas em Angola em finais de 2008, mas começa a conquistar espaço no mercado nacional.

Em 2007, a Money Gram Internacional aumentou em 25% a sua rede de agentes em cobertura em Angola, através de mais bancos agentes, tornando os serviços de transferência de dinheiro ainda mais acessíveis e convenientes para os seus clientes.

Volume de transferências

Até Novembro de 2009, a Western Union, através do Banco Millennium Angola registou cerca de 570 mil milhões de kwanzas de transferências recebidas por clientes diversos e aproximadamente 1.260 mil milhões de kwanzas de transferências emitidas para diversas partes do mundo.

Deste número, cerca de metade das transferências processadas têm como principal destino Portugal e aproximadamente uma quarta parte são transferências internas.

Relativamente às ordens de pagamento emitidas, cerca de metade delas têm Angola e Portugal como países de origem. À larga distância surgem os Estados Unidos da América.

Já a Real Transfer, até Novembro de 2009, registou cerca de 427,4 milhões de kwanzas recebidos de clientes para envio a Portugal e cerca 21,8 milhões emitidas para Angola, num total de 3.487 transferências efectuadas e 27 operações realizadas.

A Money Gram, através do Banco de Poupança e Crédito (BPC), registou, durante o ano de 2009, cerca de 194 recebimentos, sendo originárias da Alemanha (53), França (46), Portugal (38), Itália (34) e Reino Unido (23).

Segundo Isabel Miguel, Directora de Micro-Finanças do BPC, o maior número de envio ocorreu nos meses de Julho a Dezembro de 2009, tendo se verificado uma diminuição nos meses de Agosto a Novembro, devido às restrições impostas pelo Banco Nacional de Angola (BNA), relativamente à venda de moeda estrangeira aos bancos comerciais.

Portugal lidera a lista de países com maior número de envios, com 1.189, seguindo-se o Brasil (821), vindo depois a Namíbia (609), seguindo-lhe o Emiratos Árabes Unidos (376), os Estados Unidos da América (319) e a China (227).

Comissão de envio

Quanto à taxa de envio, ela varia segundo os agentes. Por exemplo, a Money Gram, através do BPC, cobra USD 12 por cada 100 transferidos. De 101 a 300, o cliente paga 18, e de 301 a 400, desembolsa 30, e de 1.751 a 2.000 (valor máximo a transferir), o cliente paga uma taxa 110 de comissão.

A Real Transfer cobra USD cinco para as transferências que vão até 100 e oito, para as que vão de 101 a 200. De 201 a 300, o cliente paga 10 de comissão, 15 para valores de 301 a 400. Para envios de 4.001 a 5.000 (valor máximo), o cliente paga 105.

No que concerne à Western Union, a sua taxa é a mais elevada do mercado, pois para um envio de uma nota de USD 100 para o exterior o cliente paga como taxa 15 e 22, de 101 a 200. Já de 201 a 300, tem uma taxa de USD 29, de USD 301 a 400, desembolsa 34 e de 1.751 a 2.000 o cliente paga 115.
 
Comentários
Quer Comentar?
Nome E-mail ou Localização
Comentário
Aceito as Regras de Participação
Foto-Destaque
Foto-Destaque
Questionário
Quais os motivos que levaram Angola a obter resultados negativos na corrida ao CAN 2015
  • Os adversários são mais fortes
  • Falta jogadores de qualidade
  • Problemas administrativos
  • Equipa Técnica