PUBLICIDADE
FAA reduz pessoal
26-07-2010 | Fonte: O PAÍS
As Forças Armadas Angolanas (FAA), no quadro da sua reedificação e reestruturação, vão reduzir substancialmente o número de efectivos da classe dos oficiais subalternos nas unidades afectas ao Estado Maior-General das FAA nos próximos tempos, disse a O PAÍS uma fonte militar.

Segundo a fonte, já foram aprovados os novos quadros orgânicos que aguardam pela sua implementação, a acontecer nos próximos tempos, com a qual serão considerados oficiais milicianos todos os graduados com as patentes de sub-tenente a tenentes em serviço nas FAA até ao momento, sem possibilidades de progredir numa carreira nas forças armadas.

Na tal condição, de oficiais subalternos e nos termos do novo quadro orgânico só poderão ser colocados nas unidades militares, excepto se tiverem qualificações superiores e desempenharem funções de chefe de secretaria ao nível do Estado Maior General das FAA. Os praças, que incluem, os soldados e cabos também serão considerados pessoal miliciano.

Outra novidade a ser introduzida pelos novos quadros orgânicos será a consideração dos actuais sargentos como pessoal do quadro permanente das forças armadas.

Os oficiais capitães serão assim o primeiro degrau na ascensão a uma carreira no quadro permanente das forças armadas.

Os excedentes, a serem verificadas as reduções, esclareceu a fonte, serão despachados para o Ministério do Interior, uma parte, e a outra, será eventualmente encaminhada para aumentar o pessoal da Força Aérea Nacional.

Uma terceira parte deverá ser desmobilizadas, estando mesmo prevista a redução do pessoal civil em regime de prestação de serviço nas forças armadas.

Com a implementação destas novas disposições, os militares recrutados e que estejam na condição de milicianos permanecerão nas forças armadas por três anos e depois serão licenciados à disponibilidade.
 
Comentários
Quer Comentar?
Nome E-mail ou Localização
Comentário
Aceito as Regras de Participação
Foto-Destaque
Foto-Destaque
Questionário
Quais os motivos que levaram Angola a obter resultados negativos na corrida ao CAN 2015
  • Os adversários são mais fortes
  • Falta jogadores de qualidade
  • Problemas administrativos
  • Equipa Técnica