Sexo ao vivo nas festas de Luanda
03-04-2012 | Fonte: Jornal Folha 8
Nos últimos tempos tem sido frequente o aumento de sexo ao vivo nalgumas festas da cidade capital. A imundice transvaza o racional. As farras transformam-se em autênticas selvas e os participantes sem pudor, alguns disputam animalescamente, dominados igualmente por excesso consumo de álcool e outras substâncias estimulantes.

Jovens na idade de “leito”, sobretudo meninas, entram histeria e ficam vulneráveis, tornando-se prezas de rapagões que deleitam endiabrados, mesmo aos olhos de toda gente. É assim as noites ditas de RAV, meninas semi nuas, danças eróticas e sexo. As festas iniciam as 23:30 e terminam as 6 horas.

Para participar nessas Ray s, os preços variam segundo as localidades. Na zona asfaltada, o ingresso pode custar os 150 usd para os rapazes e 5 para meninas.

Já nas zonas periféricas, os rapazes pagam 200 usd. As mulheres não pagam, em troca são obrigadas a vestirem-se bastante sexys, de maneira a seduzir os rapazes. Calções e saias muito curtas e ajustadas e por vezes algumas aparecem apenas de cuecas e soutiens, cobertas simplesmente por uma rede sensual.

Neste momento, acrescenta-se a fala do parlamentar, a grande parte deles são menores de idade, e além do uso e abuso de drogas, costuma-se realizar no meio da festa “Streep tease”, e relações sexuais com revezamento de parceiros.

Entrevistados alguns organizadores desta festa fora do comum, como o jovem L. Matias, organizador de algumas Rays no município do Cazenga, diz que as festas denominadas Ravs da saia Curta, Saia Malandra e fio Dental é somente para atrair clientes.

Segundo ele, muitos rapazes vão para simplesmente ver como as raparigas apresentam-se.

Para um outro organizador, este tipo de festa é como uma noite na discoteca. “O objectivo é animação”, diz ele. 
 
 
Comentários
Quer Comentar?
Nome E-mail ou Localização
Comentário
Aceito as Regras de Participação
Foto-Destaque
Foto-Destaque
Questionário