Malária é principal problema de saúde em Angola, com 7 mil mortes em 2011
25-04-2013 | Fonte: Jornal da Madeira
A malária é o principal problema de saúde em Angola, com 7 mil mortos em 2011, segundo um comunicado conjunto do Governo angolano, da OMS e UNICEF, distribuído hoje em Luanda a propósito do Dia Mundial da Malária.

"Em Angola, devido à precariedade do saneamento do meio e ao número ainda insuficiente de unidades sanitárias, a malária continua a ser o principal problema de saúde no país e a primeira causa de mortes, doenças e faltas no trabalho e nas escolas", destaca o comunicado.

Segundo o Inquérito de Indicadores da Malária de 2011, nesse período foram reportados mais de 3,5 milhões de casos suspeitos de malária, 45 por cento dos quais foram positivos, causando cerca de sete mil mortes.

Do total de óbitos, quase 4 mil (57 por cento) eram crianças menores de cinco anos.

O comunicado assinala que para combater a malária, o Governo de Angola, a Organização Mundial de Saúde e a UNICEF, têm previsto este ano acelerar a prevenção, o controlo e tratamento da malária, através da cobertura universal de redes mosquiteiras impregnadas.

Neste caso, está prevista este ano a distribuição gratuita de 5 milhões de redes.

O tratamento da malária a nível comunitário e a formação de mobilizadores sociais para a promoção de conhecimentos essenciais de prevenção e tratamento desta doença são outras iniciativas da estratégia para a eliminação desta doença.

O comunicado acrescenta que embora seja previsível e tratável, a malária continua a matar uma criança a cada 60 segundos e, anualmente, cerca de 600 mil pessoas em todo o mundo.

"Noventa por cento dessas mortes ocorrem em África, e na sua maioria em crianças menores de cinco anos de idade. Além disso, a malária contribui para o ciclo de pobreza e limita o desenvolvimento económico, causando uma perda anual de 9,2 mil milhões de euros em produtividade e custos de saúde a nível do continente", acentua o texto.

Até 2015, sob o lema "Investir no futuro: Vencer a malária", está em curso uma iniciativa conjunta que visa acelerar a eliminação da malária, no quadro dos Objectivos de Desenvolvimento do Milénio para o combate do VIH/SIDA, da malária e outras doenças.

Dados do Relatório Mundial sobre a Malária de 2012, referem que os países africanos registaram "progressos significativos" na prevenção e combate da malária no período 2000-2010, com uma diminuição de 33 por cento das mortes, evitando cerca de 1,1 milhões de mortes.
 
Comentários
Quer Comentar?
Nome E-mail ou Localização
Comentário
Aceito as Regras de Participação