Os milhões do Girabola!
30-07-2013 | Fonte: Jornal Agora
A equipa do Palanca, propriedade do empresário Bento Kangamba, está entre os clubes “grandes” do Girabola, candidato ao título, que mais gasta com prémios de jogos e contractos com jogares.

O Kabuscorp desembolsa, em média, por cada vitória da equipa, cerca de 133 mil dólares, por semana, em prémios de jogo para cada um dos 18 atletas, treinadores e corpo médico.

Dados a que o Jornal “Agora” teve acesso, colocam a equipa de Bento Kangamba na liderança dos clubes que melhores prémios de jogos dá aos seus jogares de futebol em competição no Girabola.

Dos mais de 100 mil dólares, revela o “periódico”, a maior fatia vai para o técnico principal e o seu adjunto, que auferem por cada vitória conquistada 7500 dólares, ao passo que os jogares recebem cada um 6 mil, enquanto o médico e o fisioterapeuta 5 mil dólares cada.

À estes valores se junta o facto o facto do Kabuscorp conceder contractos luxuosos aos seus atletas. O tecto máximo para os jogadores nacionais, segundo o Semanário “Agora”, é de 500 mil dólares ao passo que para os estrangeiros chegam a encaixar de luvas o equivalente até um milhão de dólares, valor que tudo indica recebeu este ano o reforço camaronês Meyiong e o craque Rivaldo, na sua passagem pela equipa do Palanca em 2012.

O Recreativo do Libolo vem na segunda posição, com gastos na ordem dos 128 mil dólares por vitória. A equipa de Calulo paga por prémio a cada jogador, em caso de triunfo 4 mil, ao técnico e o seu adjunto 4500 a 5 mil dólares no máximo, dependendo do adversário a defrontar.

O Petro de Luanda figura em terceiro lugar. De acordo com os números dos prémios dos tricolores, acrescenta o “Agora”, os petrolíferos gastam com jogares semanalmente, em caso de vitória, 80 a 120 mil dólares, dependendo do nível do adversário e da competição, contrariamente ao que acontece no Kabuscorp do Palanca, cujo valor é fixo para qualquer partida do campeonato.

O Petro paga como prémio aos jogares num jogo com o 1º de Agosto por exemplo 3 mil dólares a cada jogador, 4 aos técnicos e 1500 aos médicos de serviço.

Muito perto desses valores está o clube militar, com um gasto semanal de 75 a 100 mil dólares. Os prémios a serem atribuídos à equipa depende, também, do adversário a defrontar, não diferindo muito, nesse aspecto, a política de premiação em curso no “Crónico” rival Petro de Luanda.

Na última posição está o Interclub, outro candidato ao título do Girabola2013, com números muito abaixo dos seus opositores. Estima-se que o conjunto às ordens de Pedroto consome 50 a 40 mil dólares de prémio por cada vitória, dependendo do adversário.

O premio mais alto para cada jogador chega aos 2 mil dólares e 3 para os treinadores. Mesmo em termos de contractos, consta que a direcção de Alves Simões baixou consideravelmente o tecto antes praticado pela direcção de José Martinez, para 100 mil dólares de luvas, contra os 300 antes concedidos, facto que terá motivado a fuga para outros clubes de jogares fundamentais na manobra da equipa.
 
Comentários
Quer Comentar?
Nome E-mail ou Localização
Comentário
Aceito as Regras de Participação