Executivo angolano apostado na questão da «não proliferação nuclear»
31-10-2013 | Fonte: Angop
O Executivo angolano está apostado na questão da ?não proliferação nuclear?, bem como no desarmamento completo a nível mundial, por forma a contribuir para a paz e o progresso das nações, afirmou hoje, quarta-feira, o ministro das Relações Exteriores, Georges Rebelo Chikoti.

Discursando na abertura do Seminário nacional sobre o Tratado de Interdição Completa dos Ensaios Nucleares, que decorre na capital do país, realçou que, embora a República de Angola ainda não tenha ratificado o Tratado, o Executivo tem vindo a desenvolver actividades de vulto com vista à sua ratificação, nos próximos tempos.

“A proliferação de armas nucleares constitui hoje um assunto de extrema preocupação com que a comunidade internacional se debate na actualidade, pois o seu uso indevido, levaria o mundo à uma grande catástrofe”, sublinhou o ministro.

Neste contexto, referiu que este seminário marca em princípio, o início de um longo processo para o qual Angola está pronta a contribuir na troca de experiencias e cooperação, com vista ao fortalecimento da implementação a nível nacional, destes importantes instrumentos internacionais.

Disse ainda, que a situação mundial actual no contexto do desarmamento completo, exige uma coordenação harmoniosa entre os Estados membros das Nações Unidas, para fazer face aos desafios que derivam de conflitos, bem como prevenir os atentados à soberania dos Estados.

“É necessário que cada Estado esteja munido de estruturas adequadas a nível nacional, porquanto só nestas condições será possível harmonizar a execução de programas de desarmamento e a aplicação nacional das Convenções, visando garantir a paz e a segurança internacional”, acrescentou.

Segundo Georges Chikoti, o seminário que decorre sob os auspícios do Ministério das Relações Exteriores, visa fomentar entre outros aspectos, o reforço da capacidade de coordenação entre as diferentes instituições nacionais, às quais estão conferidas atribuições específicas referentes ao desarmamento.

Tem também como objectivo, disse, garantir uma cooperação institucional sólida, fortalecer a estratégia nacional de combate ao terrorismo, bem como permitir ao país reforçar os mecanismos de adesão e ratificação dos instrumentos internacionais.

Estão presentes no evento, o secretário Executivo da Comissão Preparatória para a Interdição Completa dos Tratados Nucleares (CTBTO), Lassina Zerbo, o embaixador da União Europeia em Angola, Gordon Kricke, deputados à Assembleia Nacional e representantes do Ministério dos Negócios e Estrangeiros do Brasil, Portugal e África do Sul.
 
Comentários
Quer Comentar?
Nome E-mail ou Localização
Comentário
Aceito as Regras de Participação