Morreu Maria Mambo Café
03-12-2013 | Fonte: Jornal de Angola
O bureau político do MPLA lamentou ontem em comunicado a morte da sua militante, a nacionalista Maria Mambo Café, ocorrido domingo em Lisboa, considerando-a “um dos filhos gerados por Angola de que todos os angolanos, sem qualquer distinção, muito se podem orgulhar”.

Ao destacar o papel de Maria Mambo Café na luta pela emancipação das mulheres angolanas e pela igualdade de direitos e deveres entre homens e mulheres, o bureau político do MPLA realça “a forma amiga, afável e de elevado espírito de compromisso e lealdade com que desempenhava as suas funções”.

O bureau político afirma que as características de Mambo Café permitiram-lhe ser proposta e eleita para cargos fundamentais na hierarquia do partido e do Estado, destacando-se a sua eleição para deputada à Assembleia do Povo, à Assembleia Nacional em 1992 e reeleição em 2008 e para membro do bureau político do Comité Central do MPLA.

“A sua incansável vontade de trabalhar e de servir o partido e a pátria levaram-na a manter-se activa, vencendo todas as dificuldades e contrariedades da vida, mesmo consciente das limitações físicas e de saúde com que se deparava nos últimos tempos”, indica o comunicado.

O bureau político do MPLA destaca ainda a longa caminhada de Mambo Café que, além de vários cargos e funções de responsabilidade, assumiu, durante a luta de libertação, o de secretária da OMA no Congo Léopoldville, membro activa da JMPLA e secretária do Presidente Agostinho Neto. Fruto do seu empenho e qualidades demonstradas, lê-se no comunicado, integrou a delegação do MPLA que chegou a Luanda em 8 de Novembro de 1974 para as negociações com a potência colonial, que culminaram com os Acordos de Alvor, em Janeiro de 1975. Com a proclamação da Independência Nacional, adianta o comunicado do bureau político do MPLA, Maria Mambo Café foi chamada a desempenhar várias funções no partido e no Estado, com destaque para os de secretária do comité central para a Política Económica e Social e de ministra de Estado para a Esfera Económica e Social, iniciando “um percurso em que se podem destacar as suas qualidades como humanista e sobretudo defensora de causas justas”.

“A camarada Mambo Café ‘Tchyina’ é detentora de uma trajectória política irrepreensível e invejável na luta pela liberdade e pela democracia em Angola e no Mundo”, sublinha o comunicado do buereau político do MPLA, no qual se apresenta, em nome de toda a massa militante, simpatizantes, amigos e eleitores, sentidos pêsames à família enlutada.

 
Comentários
Quer Comentar?
Nome E-mail ou Localização
Comentário
Aceito as Regras de Participação