Dom Filomeno Vieira Dias, o novo homem forte da igreja católica em Luanda
22-12-2014 | Fonte: Agora
O bispo de Cabinda, Dom Filomeno do Nascimento Vieira Dias, é o novo arcebispo metropolitano da Arquidiocese de Luanda, em substituição de Dom Damião Franklin, falecido em Abril deste ano.

A nomeação feita pelo chefe máximo da Igreja Católica, o Papa Francisco, foi anunciada nesta segunda-feira pela Conferência Episcopal de Angola e São Tomé e Príncipe, em comunicado da Nunciatura Apostólica lido pelo bispo auxiliar de Luanda, D. Zeferino Martins, que em 'sede vacant' ocupava o cargo de administrador apostólico da arquidiocese.

Nascido em Luanda, a 28 de Abril de 1958, D. Filomeno formou-se nos Seminários dos Capuchinhos, na cidade capital, e no Cristo Rei do Huambo, tendo sido ordenado sacerdote a 30 de Outubro de 1983. Estudou também em Roma, onde se licenciou em Filosofia na Universidade Gregoriana e doutorou- se em Teologia, na Universidade Luteranense.

Ainda na Itália, diplomou-se em Praxes Jurídico-Administrativo na Escola Prática da Congregação para o Clero. Em 2004, foi nomeado bispo auxiliar de Luanda e um ano depois bispo da Diocese de Cabinda. Estudou, igualmente, jornalismo em Luanda e no Instituto Católico de Paris. D. Filomeno foi membro da Associação Internacional Jaques Martins, para os Estudos do Departamento e do Conselho Fiscal da Associação das Universidades de Língua Portuguesa.

É membro da Angola Educational Assistance Found, com sede em Boston, nos Estados Unidos da América, da Sociedade Científica da Universidade Católica Portuguesa e vice-presidente da Conferência Episcopal de Angola e São Tomé (CEAST). Em Março último, foi nomeado pelo Papa Francisco como Conselheiro Pontifício para a Cultura na Santa Sé. D. Filomeno, o sexto a ocupar o cargo, depois de D. Moisés Alves de Pinho (1940-1966), D. Manuel Nunes Gabriel (1966 - 1975), D. Eduardo André Muaca (1975 - 1985), D. Alexandre do Nascimento (1986 - 2001) e D. Franklin (2001- -2014), deve tomar posse num horizonte máximo de dois meses.

HISTÓRIA.

A Arquidiocese de Luanda é descendente da Diocese de Angola e Congo, que foi a única do país até 1940. A Diocese de Angola e Congo foi erguida em 1596 pelo Papa Clemente VIII, a partir da Diocese de São Tomé (actual Diocese de São Tomé e Príncipe), como sufragânea da Arquidiocese de Lisboa. Inicialmente, esteve sediada em São Salvador do Congo, actual Mbanza Congo, mas, em 1716, mudou-se para Luanda, onde viviam os bispos.

FIÉIS.

Apesar da proliferação de seitas, o número de fiéis católicos em Luanda parece estável. Dados recentes a que o Agora teve acesso indicam que, na última peregrinação à Muxima, participaram perto de dois milhões de católicos. "Isso significa que a igreja continua a ter muitos adeptos", disse um religioso que participou da peregrinação anual ao Santuário da Nossa Senhora da Muxima, que aconteceu entre 6 e 7 de Setembro último.

Em 2013, um milhão e 200 mil fiéis estiveram presentes na Muxima, segundo dados da Polícia Nacional. Além dos fiéis angolanos, na peregrinação têm participado católicos de Portugal, Brasil, Congo Brazaville, RDC, Zâmbia, África do Sul, França, entre outras nações.
 
Comentários
Quer Comentar?
Nome E-mail ou Localização
Comentário
Aceito as Regras de Participação
Foto-Destaque
Foto-Destaque
Questionário