Jean Jacques virou pastor
24-12-2014 | Fonte: Nova Gazeta

Considerado o melhor basquetebolista angolano de todos os tempos, Jean Jacques dedica-se agora a pregar a bíblia. Pendurou as botas e usa as mãos para ‘salvar almas’. Percorre várias igrejas e só lamenta que o “chamamento de Deus tenha sido tardio”. 

 

É mais conhecido no mundo do basquetebolb como jogador, e foi ainda vice-presidente da Federação Angolana de Basquetebol (FAB), mas hoje exibe outros dotes em vários centros religiosos. É pastor da igreja da Assembleia de Deus Pentecostal. Foi no Cassenda, em Luanda, que o NG encontrou Jean Jacques a pregar a palavra de Deus.

 

Com 2, 03cm de altura e com a Bíblia nas mãos, o antigo basquetebolista impõe a presença, fala ao microfone, estica os longos braços, coloca as mãos na cabeça dos crentes que, em êxtase, se sentem curados de “espíritos malignos”. Pelo meio, explica que o “rei David derrubou o gigante Golias com uma pedra”. Os crentes lotaram o pequeno centro situado no bairro Cassenda e nem o ar condicionado ligado reduzia o calor. O pastor Jean Jacques incentiva a que se “agradeça todos os dias a Deus e não apenas aos fins-de-semana”.

 

Jean Jacques garante que, na sua vida de atleta, sempre esteve ligado a Deus e que, após se ter retirado das quadras, resolveu exercer com maior responsabilidade e “sem pressões”. A esposa, diz ele, tem sido uma verdadeira companheira nesta caminhada. “Ninguém pode resistir a Deus”, afirma, acrescentando que foi “escolhido tarde para exercer o ministério de Deus”.

 

Jean Jacques considera o “papel dos pastores e servos como o de fazer a vontade de Deus” e não gosta que as pessoas frequentem as igrejas, onde prega, só para o ver ou para lhe tirar fotografias.


Jean Jacques nem é o único antigo profissional do desporto a abraçar a pregação. O antigo basquetebolista sente-se feliz por existirem mais antigos desportistas, não só em Angola, “a pregar” e a “temer a Deus” e que isso “revela que a palavra de Deus atinge todas as pessoas”. “A minha família toda está ligada a Deus”, jura.

 

O pastor António Marcos, líder do centro de Manasses, entende que “não é todos os dias que se recebe a visita de pastores ilustres” e está convencido que Jean Jacques é “trabalhador de Deus’” que “traz mais almas perdidas à igreja que se encontravam divorciadas de Deus”. “Ele tem libertado vidas em nome de Jesus de Cristo”, conclui.

 

Um pastor no ‘hall’ da fama 


Considerado como um dos expoentes máximo da modalidade em Angola e em África, o pastor da igreja Assembleia de Deus Pentecostal entrou para o museu da fama na Federação Internacional de Basquetebol, graças aos seus feitos ao longo da carreira como jogador e por ter contribuído para o desenvolvimento da modalidade no continente e no país.

 

Jean Jacques Nzadi da Conceição, de nacionalidade angolana, nascido a 3 de Abril de 1964 em Kinshasa, República Democrática do Congo, praticou basquetebol entre 1982 e 2003. 

 

Iniciou-se no 1.º de Agosto, passando depois pelo Benfica, em Portugal, Unicaja Málaga, em Espanha, Limoges, de França e Portugal Telecom.

 

Conquistou, pela selecção nacional, sete campeonatos africanos em 1989, 1992, 1993, 1995, 1999, 2001 e 2003. 

 

Participou nos campeonatos do mundo de 1986, 1990 e 1994 e nos Jogos Olímpicos de 1992. Em 2011, em Antananarivo, Madagáscar, nas comemorações do 50º aniversário da FIBA África, Jean Jacques foi nomeado o jogador de basquetebol mais valioso do continente. Recentemente, a direcção do 1.º de Agosto baptizou um pavilhão multiuso com o seu nome.

 
Comentários
Quer Comentar?
Nome E-mail ou Localização
Comentário
Aceito as Regras de Participação