Brigada de Literatura consternada com a morte de Gabriela Antunes
04-04-2004 | Fonte: Angop
A direcção da Brigada Jovem de Literatura de Angola (BJLA), manifestou hoje, a sua consternação pela morte por doença da escritora e professora Gabriela Antunes, ocorrido sábado em Lisboa, Portugal.

Numa nota de imprensa, a BJLA refere que a morte da escritora deixará um vazio nas áreas em que se notabilizou, particularmente na literatura infantil em que foi uma das pioneiras neste género literário em Angola.

A brigada apela à nova geração de criadores literários a prosseguir a obra deixada pela falecida, como uma forma de render a mais viva e merecida homenagem à escritora.

Nesta hora de dor e luto o secretariado da Brigada Jovem de Literatura de Angola endereça a família os seus mais profundos sentimentos de pesar.

Maria Gabriela Cardoso da Silva Antunes nasceu no planalto central (Huambo) a 08 de Julho de 1937.

Publicou os contos "A Águia, a Rola, as Galinhas e os 50 Lweis" (1982), "Luhuna o Menino que Não Conhecia Flor-viva" (1983), "Kibala o rei Leão" (1983), "A Abelha e o Pássaro" (1982), "O Castigo do Dragão Glutão" (1983), "O Jardim do Quim" conto incluído na colectânea intitulada Lutchila e Outras Estórias (1985), "O João e o Cão", "Estórias Velhas Roupa Nova" (1988) e diversos contos infantis publicados nos jornais.

A sua última obra (publicada em 2003) intitula-se "Crónicas Apressadas I", uma colecção de textos lidos na rádio LAC - Luanda Antena Comercial, em 1999.

Desempenhou entre outras, as funções de docente universitária no Instituto Superior Privado de Angola (Ispra), professora no Instituto Médio de Economia de Luanda (Imel), assessora do ministro da Cultura e secretária das relações exteriores da União dos Escritores Angolanos.
 
Comentários
Quer Comentar?
Nome E-mail ou Localização
Comentário
Aceito as Regras de Participação