Por cada Golo contra a Argélia, gritarei Marburg!!!!
20-05-2005 | Fonte:
Numa altura em que no contexto das nações procuramos melhorar a nossa “conduta moral” como estado, já que somos apelidados de corruptos, o país da guerra, dos incompetentes, desgovernação, da fome e da miséria, a decisão leviana e sem fundamentos da FIFA manchou ainda mais a imagem dos angolanos no exterior.

Um organismo de cariz internacional como a FIFA, poderia influenciar negativamente, com decisões deste género grandes oportunidades de investimento, de parcerias e de desenvolvimento de Angola e com isso prejudicar na melhoria das condições de vida dos angolanos.

Felizmente o bom senso prevaleceu, a FIFA lá reconsiderou e o jogo é mesmo dia 5 de Junho de 2005. Se bem que uma nota de protesto dirigida a FIFA pelas autoridades angolanas seria bem vinda e reforçaria a nossa autoridade.

Realmente não fazia sentido, já lá vão sete meses que o Vírus Marburg começou a provocar moças, desportivamente nem por isso o país parou, assisti aos jogos do Inter contra os gaboneses do Futebol Clube 105, do Asa contra os egípcios do Raja Casa Blanca e outros jogos de carácter internacional que tiveram lugar em solo pátrio e não me lembro de ver algum jogador estrangeiro vomitar sangue em pleno estádio nacional da Cidadela.

Na área económica e política tivemos delegações internacionais à procura de parcerias, do reforço de relações, de assinatura de novos contratos e o país durante esta fase ganhou em termos de know how, assim como espaço nos contexto das nações.

O Business não parou, as multinacionais, assim como as empresas nacionais não pararam e o nosso PIB continuou a sua marcha triunfal rumo a um caminho qualquer que todos nós esperamos seja de sucesso.

Diplomaticamente não tivemos problemas, as representações diplomáticas estrangeiras cá residentes não abandonaram o barco. A guerra que dilacerou o país durante anos ceifou mais vidas e era muito mais perigosa do que o Marburg que se encontra circunscrito a uma minúscula zona do país.

A RDC teve ébola durante um período mas não deixou de receber jogos de caracter internacional, a Argélia é conhecida pela brutalidade dos fundamentalistas islâmicos, a África do Sul é conhecida pela elevada taxa de HIV a nível mundial e pelos elevados níveis de criminalidade, ganhou a campanha para a realização de uma Copa do Mundo, a Nigéria é famosa pelas lutas tribais, religiosas e étnicas que lhe assolam, e nunca deixou de receber jogos de caracter internacional.

O futebol a nível mundial é um grande negócio, com grandes lobies, a copa do mundo em futebol é uma festa, mas é acima de tudo um projecto desportivo que precisa de ter viabilidade económica e financeira e há determinadas equipas que económica e financeiramente inviabilizam o projecto. Já imaginaram uma copa do mundo sem o Brasil, França, Alemanha e a nível do futebol africano sem os seus colossos? Será uma conspiração da FIFA?

O Marburg não nos venceu desportivamente, porque a nossa diplomacia foi mais forte, porque a diplomacia desportiva mexeu-se. Claro está que gostaríamos que esta mesma diplomacia servisse a população do Uíge. Precisávamos de uma outra diplomacia qualquer que vencesse o vírus, isto se todos os quadrantes se mexessem para vencermos o Vírus.

Venceremos o Vírus de Marburg, assim como no jogo do dia 5 iremos todos a Cidadela para gritarmos “Marburg” por cada golo que a selecção marcar e procuraremos vencer a Argélia por tantos “Marburg” à zero.

Artigo de Opinião, assinado por Bo Kimble.
Bancário
 
Comentários
Quer Comentar?
Nome E-mail ou Localização
Comentário
Aceito as Regras de Participação