Memórias de Iko Carreira em livro
03-06-2005 | Fonte:
As Memórias de Iko Carreira, antigo Ministro da Defesa do Governo Angolano foram lançadas hoje, na União dos Escritores Angolanos, num livro editado pela Editorial Nzila.

Com 172 páginas, o livro Memórias é constituído por um prefácio assinado pelo conceituado historiador congolês Jean Michel Mabeko Tali, depoimentos de Roberto de Almeida, Presidente da Assembleia Nacional, um prefácio de uma jornalista italiana e nove capítulos, onde Iko Carreira faz uma incursão em aspectos como a sua infância, como ingressou na Universidade de Lisboa, a sua passagem pelo exército português e a sua fuga de Portugal para se encontrar com vários nacionalistas angolanos em Argel e Rabat.

Chamado a apresentar a obra, o Historiador Fernando Gambôa, Docente do Instituto Superior de Ciências de Educação da Universidade Agostinho Neto, afirmou que Memórias “tendo em conta o contexto em que foi escrito de grande debilidade física do autor, não podemos deixar de reverenciar o Comandante Iko pela sua bravura, coragem e teimosia patriótica de querer deixar às novas gerações um dos mais caros legados: as memórias de um grande combatente nacionalista”, sublinhou.

Na visão de Fernando Gambôa, “para a história de Angola, este contributo é valioso e de grande interesse, pois, trata-se de focar um período histórico turbulento com testemunhos controversos, em que o seu autor participou como testemunha directo. Embora tenhamos de usar as memórias cuidadosamente, o certo é que tratando-se da natureza do autor da memória e sobretudo do período em que foi escrita, o da expansão da democracia em Angola, reveste-se de grande importância. Quer dizer que quanta mais democrática for a sociedade, mais fácil é a liberdade de expressão e mais fácil é a possibilidade de encontrar a verdade”, concluiu.

Entre as figuras do MPLA presentes no lançamento da obra, destaca-se o Presidente da Assembleia Roberto Victor de Almeida, Dino Matross, Secretário-geral do MPLA, Beto Van-Dúnem, ex-ministro do Comércio no Governo de Agostinho Neto, Maria Eugénia Neto, viúva do 1º Presidente de Angola e os Deputados Mendes de Carvalho “Wanhenga Xitu”, Costa Andrade “Ndunduma”, Ana Maria de Oliveira e dois filhos do malogrado General Iko Carreira.

Henrique Alberto Teles Carreira, ou simplesmente Iko Carreira, nasceu a 02 de Junho de 1933 em Luanda ou Kibala (ninguém sabe!). É pai de 4 filhos. Em 11 de Novembro de 1975, é nomeado como 1º Ministro da Defesa da República Popular de Angola, cargo que ocupou até 1979, após o falecimento de Agostinho Neto.

Em 1983 é nomeado Comandante da FAPA. Ocupa este cargo durante 3 anos. A 06 de Abril de 1987 é designado Embaixador de Angola na Argélia, cargo que ocupa quando, em Outubro daquele ano, sobre um acidente cardiovascular que, entre outras sequelas, o deixou dois anos sem falar e com a mão direita descoordenada.

Até à sua morte, escrevia num computador com apenas um dedo, num teclado especialmente concebido nos EUA, para crianças e deficientes paraplégicos. Em 30 de Maio de 2000, Iko Carreira morre em Madrid, Espanha, onde residia.
 
Comentários
Quer Comentar?
Nome E-mail ou Localização
Comentário
Aceito as Regras de Participação