Gabriela Antunes foi a enterrar esta tarde no Alto das Cruzes
08-04-2004 | Fonte: Angop
Os restos mortais da professora Gabriela Antunes, falecida sábado último, em Lisboa, Portugal, foram hoje sepultados no Cemitério do Alto das Cruzes, em Luanda, em cerimónia assistida pelo presidente da Assembleia Nacional, Roberto de Almeida.

Durante a cerimónia, também assistida por membros do Governo, diplomatas, escritores, jornalistas, alunos e outras individualidades, foram lidas duas mensagens de condolências endereçadas pelo Presidente da República, José Eduardo dos Santos, e pelo primeiro-ministro, Fernando da Piedade Dias dos Santos, nas quais manifestaram tristeza pelo falecimento da professora e escritora.

Para o Presidente da República, Gabriela Antunes foi uma pedagoga e intelectual que sempre partilhou com generosidade o seu saber na formação de várias gerações de jornalistas e escritores angolanos.

"A sua dedicação à causa de libertação de Angola e de exaltação da cultura aliada a sua constante preocupação com os mais novos, a quem consagrou numerosos livros ricos de imaginação e de ensinamento, fazem da sua morte uma perda difícil de ser superada", lê-se na mensagem.

Ao proceder a leitura do elogio fúnebre, em nome da União dos Escritores Angolanos (UEA), o escritor João Melo disse que a morte de Gabriela Antunes não foi de pé e a dar aulas como queria, mais combatendo como uma poderosa e carismática guerreira como sempre foi.

Destacou a sua lucidez intelectual, a modéstia e a intrínseca coragem pessoal que mais do que pregar exercia diariamente, mesmo correndo o risco de cometer erros, pois esta era para ela a única maneira de estar viva, como pode a morte mero, embora inevitável, acidente material, pretender acabar com o riquíssimo exemplo de vida que a todos lega.

Evocou alguns momentos de Gabriela Antunes como nacionalista, intelectual, escritora, professora, servidora pública, militante partidária e feminista, cidadã angolana e do mundo.

Maria Gabriela Antunes, também conhecida por Gaby, doutorou-se em filologia germánica e fez pós-graduação em pedagogia e didáctica da língua inglesa. Nasceu em 1937 na cidade de Nova Lisboa (actual Huambo), Centro de Angola.

No campo literário, deixa várias obras, particularmente livros infantis como A Águia, As Galinhas-50 Lwei, O Castigo do Dragão, O Cubo Amarelo e Histórias Velhas Roupas Novas.

Gabriela Antunes foi professora e coordenadora do curso de jornalismo no Instituto Médio de Economia de Luanda (IMEL), tendo leccionado também no Instituto Superior Privado de Angola (ISPRA), além de ter exercido outras funções na então Secretaria de Estado da Cultura, hoje Ministério da Cultura.

No domínio desportivo, chegou a ocupar o cargo de presidente da mesa da assembleia-geral da Federação Angolana de Natação.
 
Comentários
Quer Comentar?
Nome E-mail ou Localização
Comentário
Aceito as Regras de Participação
Foto-Destaque
Foto-Destaque
Questionário