UNITA saúda CNE pela abertura ao diálogo - ANGONOTÍCIAS
UNITA saúda CNE pela abertura ao diálogo
09-02-2017 | Fonte: Angop
O secretário da presidência da UNITA para os Assuntos Eleitorais, Vitorino Nhany, saudou nesta quarta-feira, em Luanda, a Comissão Nacional Eleitoral (CNE), pela intenção de dialogar de forma estruturada e regular sobre as tarefas eleitorais, anunciada recentemente.

Em conferência de imprensa, para apresentar o ponto de vista do partido sobre o Processo de Registo Eleitoral em curso no país, augurou que os servidores públicos tenham o propósito de escutar os seus interlocutores para melhor servirem a sociedade.

"O Ministério da Administração do Território (MAT) já tem feito isso de certo modo, mas esperamos que a CNE o faça com mais propriedade, escutando os partidos políticos e explicando o que pensa fazer, como pensa fazer e com quem", declarou.

Segundo Vitorino Nhany, a UNITA quer contribuir positivamente para que as Eleições Gerais de 2017 sejam livres, justas, transparentes e credíveis, a fim de a estabilidade do país ser uma realidade e uma conquista que perdure, visando a construção de uma Angola onde todos se sintam donos do seu destino.

A transparência, vincou, é um elemento fundamental que engloba o carácter aberto de todas as etapas da organização eleitoral, e deve incluir o acesso às informações necessárias de forma atempada e prontidão em fornecer uma justificação das decisões.

Disse que agindo assim, será possível fazer correcções de forma célere a eventuais erros ou omissões que ocorram nas diferentes etapas do processo, de modo a inspirar confiança e credibilidade no sistema e na mente de todos os intervenientes.

Neste sentido, referiu que as denúncias que têm sido feitas sobre algumas irregularidades no âmbito da actualização dos dados eleitorais e no cadastramentos de novos votantes devem merecer atenção especial por parte dos actores políticos e dos órgãos executores, por forma a afastarem-se as suspeições.

Para a UNITA, a fiscalização, um dos mecanismos que os partidos políticos dispõem para acompanhar o processo, é opcional e não uma imposição legal.

Por esse facto, entende que a sua eficácia deve limitar-se aos actos de recolha de dados e não abrange o tratamento de dados, nem a elaboração dos cadernos eleitorais.

O partido do "Galo Negro" e outras formações políticas têm sido críticos pelo facto de ser o MAT a conduzir o Processo de Registo Eleitoral, iniciado a 25 de Agosto de 2016, no quadro da preparação das Eleições de 2017, porque entendem ser uma competência da CNE.

O processo termina a 31 de Março do presente ano.

A UNITA é a segunda força política do país, estando representada a Assembleia Nacional com 32 deputados.
 
Comentários
Quer Comentar?
Nome E-mail ou Localização
Comentário
Aceito as Regras de Participação
Foto-Destaque
Foto-Destaque
Questionário