Eni eleva a 150.000 barris de crude produção diária em bloco angolano
09-02-2017 | Fonte: Lusa
A petrolífera italiana Eni anunciou hoje que iniciou a produção de petróleo num novo campo do bloco 15/06 do 'offshore' angolano, que passa a atingir a marca diária de 150.000 barris de crude.

Em comunicado enviado à Lusa, a Eni informa que o início da operação no denominado "East Hub", em águas profundas, acontece ao fim de três anos de desenvolvimento do projeto e surge com cinco meses de antecipação face ao calendário inicial.

Para o efeito, foi construído em Singapura o FPSO (Unidade Flutuante de Produção, Armazenamento e Descarga) "Armada Olombendo" - que são navios semelhantes a grandes petroleiros -, neste caso com capacidade para tratar 80.000 barris de crude por dia e comprimir 3,4 milhões de metros cúbicos de gás natural.

Operando com nove poços a uma profundidade de lâmina de água de 450 metros, esta FPSO coloca em operação o campo Cabaça Sudeste, que fica 350 quilómetros a noroeste de Luanda e a 130 quilómetros a oeste do Soyo.

"Estamos orgulhosos do que conseguimos no bloco 15/06", refere o diretor executivo da Eni, Claudio Descalzi, acrescentando que, aproveitando a "extensa experiência em exploração" da petrolífera italiana, foi possível descobrir um total de três mil milhões de barris de petróleo naquela área, através de 10 descobertas comerciais.

O bloco 15/06 é operado pela Eni, que tem uma quota de 36,84% no grupo empreiteiro, no qual a estatal angolana Sonangol (36,84%) é a concessionária e que conta ainda com a participação da SSI Fifteen Limited (26,32%).

A petrolífera italiana garantiu em 2016 uma produção diária de 124.000 barris de equivalente de petróleo, em Angola.

A Sonangol e a Eni anunciaram em fevereiro a entrada em produção do campo Mpungi, em águas profundas 350 quilómetros a nordeste de Luanda, elevando na altura a 100.000 barris de crude diários a partir do bloco 15/06.

O Mpungi é o terceiro campo do projeto de desenvolvimento denominado "West Hub" a entrar em produção, depois dos campos Sangos e do Cinguvu, em profundidades entre os 1.000 e os 1.500 metros.

Há mais dois campos, Ochigufu e Vandumbu, para entrar em produção neste projeto do bloco 15/06.

O início da produção no campo Mpungi foi anunciado, inicialmente, para janeiro de 2016, acrescentando 40.000 barris de crude diários à produção dos dois outros campos (que era de 60.000 barris por dia)

Juntamente com a Nigéria, Angola é o maior produtor de petróleo em África, com mais de 1,7 milhões de barris de crude por dia.
 
Comentários
Quer Comentar?
Nome E-mail ou Localização
Comentário
Aceito as Regras de Participação