Epidemia de febre­-amarela em Angola e na RDC chega oficialmente ao fim
15-02-2017 | Fonte: Novo Jornal
A Organização Mundial de Saúde (OMS) anunciou que a mais complicada epidemia de febre­amarela que em muitos anos aconteceu em África chegou ao fim com o trágico balanço de mais de 400 mortos em Angola e na República Democrática do Congo (RDC).

O comunicado da OMS explica que a oficialização do fim da epidemia que assolou Angola e a RDC deve-se à inexistência de novos casos relatados desde há vários meses, depois dos quase mil registados pelos serviços de saúde dos dois países em finais de 2015 e nos primeiros meses de 2016.

O último caso notificado em Angola data de meados de Junho de 2016 e nos dois países há seis meses que a doença não é detectada.

Para trás ficam 965 casos confirmados mas são várias centenas aqueles que, embora não tendo confirmação laboratorial, foram colocados na lista dos sob suspeita.

A OMS nota ainda que a derrota da febre-amarela aconteceu depois de quase 30 milhões de pessoas terem sido vacinadas nos dois países, sendo mais de sete milhões foram na capital congolesa, Kinshasa, e pelo menos 4 milhões na grande Luanda, onde se crê que a epidemia tenha surgido.

O esforço de vacinação, a única forma de debelar o problema foi de tal ordem que as reservas mundiais do medicamento foram esgotadas em diversas fases das sucessivas e massivas campanhas de vacinação nos dois países, com destaque para as suas capitais e para as regiões ao longo da fronteira comum.

Este anúncio oficial da OMS surge depois de em Angola o Ministério da Saúde ter dado como terminada a epidemia em Dezembro e na RDC o mesmo ter acontecido na passada terça feira.
 
Comentários
Quer Comentar?
Nome E-mail ou Localização
Comentário
Aceito as Regras de Participação
Foto-Destaque
Foto-Destaque
Questionário