João Lourenço pede ordem e civismo nas eleições
04-04-2017 | Fonte: Angop
O ministro da Defesa Nacional, João Lourenço, destacou nesta terça-feira, no município da Caála, província do Huambo, o trabalho do Executivo nos últimos 15 anos para a melhoria da condição social dos angolanos, e encorajou os cidadãos a participarem de forma ordeira, com civismo e responsabilidade nas eleições gerais de Agosto próximo.
 
Ao intervir no acto alusivo ao 15º aniversário da Paz e Reconciliação Nacional, disse estar ciente que o trabalho feito ainda está longe de satisfazer todas as necessidades do país, sobretudo por causa do crescimento demográfico da população. Para si, os angolanos que acreditaram ser possível ultrapassar as diferenças e fazer a paz já demonstraram ser capazes de construir um futuro melhor.
 
Ressaltou o facto de a paz conquistada em 2002 permitir a realização de eleições periódicas, de cinco em 5 anos, sublinhando haver condições para fazer este ano, inspirados na sabedoria dos antepassados, na fé e patriotismo dos angolanos, eleições livres e justas.
 
Disse que a conquista da paz foi um acontecimento de grande importância histórica, tendo ressaltado o discernimento do Presidente da República, José Eduardo dos Santos, que conduziu o país ao perdão e à reconciliação nacional.
 
Destacou o papel da sociedade civil na conquista da paz, sobretudo da Igreja, e considerou o 4 de Abril como a segunda maior festa nacional, depois da Independência Nacional. Apontou como ganhos da paz a livre circulação de pessoas e bens, a recuperação de infra-estruturas e o aumento da oferta de serviços básicos à população.
 
Com a paz, referiu, o país tornou-se mais competitivo do ponto de vista político e económico, aumentou as oportunidades de acesso ao emprego, reduziu a taxa de analfabetismo e multiplicou o número de efectivos no sistema de educação.
 
De igual modo, multiplicou o número de estudantes do ensino superior, reduziu a taxa de mortalidade infantil, a mortalidade de crianças com idade inferior a 15 anos, além de ter aumentado a percentagem de mulheres atendidas nos serviços pré-natal.
 
A paz, disse João Lourenço, permitiu ainda a redução da percentagem de menores de cinco anos padecendo de doenças crónicas, e avanços no domínio da construção e reabilitação de estradas e pontes, das vias ferroviárias, e da reconstrução de infra-estruturas portuárias. Na mesma senda, permitiu a recuperação e expansão de infra-estruturas de telecomunicações e de habitações.
 
 
 
Comentários
Quer Comentar?
Nome E-mail ou Localização
Comentário
Aceito as Regras de Participação