Aposta de Angola apenas no petróleo «foi um grande erro»
23-06-2017 | Fonte: Observador
A viúva de Agostinho Neto, o primeiro Presidente angolano, considera que Angola “cometeu um grande erro” ao “não desenvolver a agricultura” para apostar apenas no petróleo. Em declarações à agência Lusa, à margem da apresentação, esta terça-feira, do relatório económico da Universidade católica de Angola, Maria Eugénia Neto, sublinhou que a nível do país existem “muito poucos reflexos” das ideias do primeiro chefe de Estado angolano.

Ele frisou bem, a agricultura é a base e não se tomou muito em conta. Havia o petróleo e o petróleo era só meter a mão no saco e já estava, e foi um grande erro.” Segundo Maria Eugénia Neto, a agricultura sempre foi a “palavra de ordem” do primeiro Presidente angolano, “um jovem cheio de ideias e de iniciativas, que queria o melhor para o seu povo”.

Olhando para o atual contexto socioeconómico do país, marcado desde finais de 2014 por uma profunda crise económica, financeira e cambial devido a baixa do preço do barril do petróleo no mercado internacional, Maria Eugénia Neto considerou que a diversificação da economia angolana “aconteceu muito pouco”, defendendo a necessidade de se “corrigir e de se criticar positivamente”.

Para Maria Eugénia Neto, “é preciso pôr o povo a falar”.

“O último pensamento do Presidente Neto foi a constituição da Assembleia do Povo, para pôr o povo a falar, não era para as coisas irem feitas e cozinhadas, era para o povo falar. Há necessidade de se dar celeridade para as coisas caminharem”, afirmou.

Maria Eugénia Neto disse não alimentar qualquer expectativa sobre as eleições gerais de Angola marcadas para 23 de agosto, esperando, contudo, “que tudo corra bem e que ganhe o melhor”.

“E que seja um momento de inclusão, porque este país tem de facto de se unir para que daqui a bocado não se divida aos bocados. Portanto, espero que faça refletir todos, não só os do MPLA (Movimento Popular de Libertação de Angola, partido no poder) como os da UNITA (União Nacional para a Independência Total de Angola, maior partido da oposição), dos outros partidos, que faça refletir todos, porque todos são angolanos”, disse.
 
Comentários
Quer Comentar?
Nome E-mail ou Localização
Comentário
Aceito as Regras de Participação