Defesa promete banir as más práticas
10-10-2017 | Fonte: JA
O ministro da Defesa Nacional prometeu ontem banir e prevenir a ocorrência de más práticas que mancham o bom nome das Forças Armadas Angolanas (FAA). Salviano Sequeira falava na 101.ª Brigada de Tanques, localizada no município de Cacuaco, em Luanda, no acto central do 26.º aniversário da criação das FAA. 
 
O ministro apontou o reforço da vigilância, o controlo e a inspecção, como uma das formas de aferir o cumprimento rigoroso das normas legais e a punição daqueles que insistem em actuar à margem da lei.
 
“Começamos um novo ciclo, pelo que é necessário que nos adaptemos a ele, para que o progresso na carreira militar, associado à vida pessoal, não seja prejudicado por atitudes negativas relacionadas à má gestão, desleixo e à falta de preocupação com o pessoal sob vosso comando”, defendeu, dirigindo-se aos comandantes e chefes a distintos níveis. 
 
 
Salviano Sequeira assegurou que o Ministério da Defesa Nacional, em colaboração com as Forças Armadas, vão empenhar-se na actualização do pacote legislativo das FAA, para submetê-lo à aprovação das estruturas competentes. Com estes instrumentos, disse, haverá a possibilidade de se corrigir as assimetrias, as injustiças e, inclusive, atitudes que têm vindo a prejudicar a organização, o funcionamento e a discipilina no seio das FAA.
 
 
“As Forças Armadas Angolanas são a reserva moral da sociedade, isto significa que a população está de olhos em tudo o que cada militar faz. Neste dia de grande significado, vale lembrar que os militares devem honrar a farda que envergam, serem fiéis à bandeira e à Pátria, elevando cada vez mais o sentido patriótico e de missão”, realçou.
 
 
 
Salviano Sequeira pediu o empenho dos efectivos na preparação combativa, operativa e científica e sublinhou a necessidade de aposta na realização e participação em exercícios de operações de manutenção da Paz, nas suas mais variadas vertentes, para que as FAA possam maximizar as suas capacidades de resposta, na assistência às populações afectadas por conflitos, epidemias ou calamidades naturais.
 
 
O ministro da Defesa Nacional lembrou que as unidades militares são um bem comum e com missões específicas, e referiu que os comandantes devem estar sempre preocupados com o desempenho dos seus efectivos, “sabendo aproveitar as divergências de pensamento para o engrandecimento das mesmas e nunca o fracasso”.
 
 
 
“Devemos ouvir, filtrar e aproveitar as críticas construtivas e as diferenças de pensamento, porque não sabemos tudo e não podemos tudo”, disse. Salviano Sequeira reiterou a continuidade do processo de modernização das FAA, de forma a dotá-la de capacidades e intervenção nos espaços sob sua responsabilidade. Esta tarefa, disse, deve ser complementada com a construção e reabilitação de quartéis e infra-estruturas de acomodação das tropas. 
 
 
O processo de criação da indústria de Defesa, de forma a reduzir a dependência externa no fornecimento de bens e serviços essenciais às FAA, atraindo, para o efeito, os militares fora do activo, e os jovens provenientes dos diferentes cursos nas instituições académicas, é outra das prioridades do ministro da Defesa Nacional.
 
Comentários
Quer Comentar?
Nome E-mail ou Localização
Comentário
Aceito as Regras de Participação
Foto-Destaque
Foto-Destaque
Questionário