Governo vai acabar com concorrência desleal no sector do cimento
17-10-2017 | Fonte: Angop
O Presidente da República, João Lourenço, afirmou, na Assembleia Nacional, ser urgente pôr cobro à situação de concorrência desleal que se verifica actualmente na indústria do cimento do país.

Segundo João Lourenço, em função desta concorrência desleal, os preços do cimento no mercado dispararam devido à paralisação de duas unidades fabris.

O Presidente da República, que dirigia uma mensagem ao país sobre o Estado da Nação, na reunião solene de abertura da I sessão Legislativa da IV Legislatura da Assembleia Nacional, prometeu submeter ao Parlamento uma lei da concorrência, para eliminar as imperfeições do mercado ainda existentes na economia, como os monopólios.

Há mais de quatro meses o cimento registou a sua maior subida no mercado angolano, passando de mil e 200 kwanzas, para dois mil 500 kwanzas em Luanda e três mil e 500 no interior do país, sobretudo na província do Moxico, decorrente da paralisação das unidades cimenteiras mencionadas no discurso do Presidente.
 
Comentários
Quer Comentar?
Nome E-mail ou Localização
Comentário
Aceito as Regras de Participação