Angola necessita de lei reguladora do comércio electrónico
11-11-2017 | Fonte: Angop

A criação de uma legislação para regular o comércio electrónico, exercido no país, é importante, para permitir que os direitos dos consumidores sejam salvaguardados, defendeu nesta sexta-feira, em Luanda, a criadora da plataforma comercial electrónica BayQi, Fátima Almeida.

 

Ao falar à imprensa, no fórum sobre Comércio Electrónico em Angola, a responsável disse que o comércio electrónico no país está a crescer e para evitar a burla da parte de muitos oportunistas deve haver uma legislação para garantir a confiança a segurança e direitos dos clientes.

 

“O comércio electrónico em Angola está a crescer e daqui a quatro anos terá maior importância no país, pois tem estado a ganhar espaço” , augurou.

 

Justificou que o comércio eléctrico é uma das formas mais fácil de conectar ao mundo, sem precisar que as pessoas se desloquem de suas casas ou do local de trabalho para adquirir um determinado produto.

 

 

Comércio electrónico ou e-commerce são transacções comerciais feitas através da internet, com recurso a computadores, tablets e smartphones.

 

 

Para esta plataforma de negócio electrónico disponível agora no país, as empresas abrem uma loja na plataforma BayaQi e fazem a exposição e comercialização dos seus produtos.

 

 

“As empresas não precisam estar fisicamente num determinado espaço geográfico, para que o cliente adquira um determinado produto, através do BayQi, fazendo um pagamento electrónico o cliente terá o produto em dois a quatro dias, caso a empresa esteja em Angola e se estiver no estrangeiro pode durar oito a dez dias úteis”, explicou.

 

 

A BayQi é a primeira plataforma de comércio electrónico angolano, criado a 26 de Abril de 2016 e congrega mais de 50 empresas nacionais e internacionais, nos domínios do vestuário, materiais electrónicos, alimentação, bebidas, imobiliários, entre outros produtos.  

 

 

 

 

 

 

 
Comentários
Quer Comentar?
Nome E-mail ou Localização
Comentário
Aceito as Regras de Participação