Futebol: Dragan Jovic leva clube Dagosto no coração
13-11-2017 | Fonte: Jornal de Angola
Com a sensação de missão cumprida, depois de ter levado o 1º de Agosto a dois títulos no Girabola, em 2016 e 2017, além da conquista da Supertaça no arranque da temporada futebolística, encerrada sábado, com a final da Taça de Angola, conquistada pelo Petro de Luanda, o técnico Dragan Jovic regressa hoje para a Bósnia, após a rescisão do vínculo por razões de saúde.

Contratado em 2014, para forjar talentos, Dragan Jovic viu o seu trabalho interrompido pela necessidade de assumir em Julho do mesmo ano o cargo de treinador da equipa de seniores, em substituição do luso-moçambicano Daúto Faquirá, afastado por maus resultados.

Sob o comando do técnico bósnio, o 1º de Agosto terminou o campeonato em quarto lugar, com 52 pontos, competição cujo título foi conquistado pelo Recreativo do Libolo, com 69 pontos. Mas em 2015 Jovic deixou a marca do seu trabalho, ao montar uma equipa forte e capaz de lutar pelo primeira posição, terminando a prova em segundo, com os mesmos 60 pontos da formação do Cuanza-Sul, campeão nacional.

Futebol envolvente

Na sua primeira época como “arquitecto” do projecto, o terceiro treinador bicampeão da história do 1.º de Agosto, depois do sérvio Dusan Kondic (1990/1991) e do angolano Ndungidi Daniel (1998/1999), assinou o feito de colocar os militares a praticar o futebol mais vistoso em Angola, apoiado numa postura pressionante no bloqueio do momento de construção do adversário e em transições rápidas defesa-ataque, com grande vertigem ofensiva. Apenas foi superado no critério de desempate, por ter perdido um dos jogos no confronto directo com o Libolo.

Em 2016 e 2017 o 1º de Agosto acabou por confirmar, com os campeonatos ganhos, o excelente trabalho que Dragan Jovic vinha implementando na equipa. Contactado pelo Jornal de Angola, o treinador referiu que parte com um sentimento de tristeza, mas certo do dever cumprido. “É difícil, quando temos de partir e deixar pessoas que amamos. Se não fosse o meu problema de saúde, renovaria o contrato com o 1º de Agosto”, lamentou.

Para dar continuidade ao seu projecto, Jovic aconselha ao elenco de Carlos Hendrick a abraçar a escola da Bósnia ou da Sérvia, por forma a que a equipa possa manter os níveis que atingiu.

“Penso que seria a melhor escolha, porque não iria baixar os níveis até aqui alcançados. Agora cabe ao clube decidir na aposta ou não”, disse, para acrescentar: “Vou, mas um dia irei regressar a este maravilhoso país. Se superar o problema de saúde e o 1º de Agosto estiver interessado em mim, volto com todo o prazer”.

Detentor da melhor defesa do campeonato, apenas 14 golos sofridos em 30 jogos, perfazendo uma média de menos de meio tento (0,46) consentido por jornada, Dragan Jovic sugere o reforço o ataque, com dois pontas natos.

“O 1º de Agosto tem problemas no ataque. Se for solucionado, estou convencido de que ninguém vai conseguir segurar a equipa, tanto no Girabola como na Liga dos Campeões. O meio-campo precisa apenas de um ou dois reforços. O ataque é a maior preocupação”, explicou, sublinhando que a direcção tem feito um excelente trabalho nas 16 modalidades, sem esquecer o apoio e o carinho prestado pela massa associativa, durante os três anos e meio que esteve à frente da equipa técnica.

Angola foi a sua primeira aventura internacional, depois de ter orientado o Drinsk FC, com o qual se sagrou campeão nacional, em 2008, e vencedor da taça, um ano antes, na Bósnia.
 
Comentários
Quer Comentar?
Nome E-mail ou Localização
Comentário
Aceito as Regras de Participação