Kwanza não vai ser desvalorizado
03-01-2018 | Fonte: NJ/Angop
O Banco Nacional de Angola (BNA) não vai desvalorizar a moeda (Kwanza), declarou hoje o governador José de Lima Massano O principal gestor do Banco Central deu essa informação na conferência de imprensa que visou apresentar o Programa de Estabilização Macroeconómica de 2018.
 
José de Lima Massano informou que o BNA vai criar uma banda de flutuação e que "se esta não for ultrapassada, não haverá intervenção", explicando que "vai ser o mercado a determinar o câmbio do Kwanza e a depreciação da moeda".
 
A equipa económica do Governo, coordenada pelo ministro de Estado para o Desenvolvimento Económico e Social, Manuel Nunes Júnior, contou ainda com a presença do ministro das Finanças, Archer Mangueira.
 
A equipa explicou, de forma sucinta as acções previstas no Programa de Estabilização Macroeconómica (PEM), um instrumento de gestão que visa, em síntese, restaurar a estabilidade e a sustentabilidade da economia do país.
 
 
De recordar que o ministro das Finanças, Archer Mangueira, já tinha admitido, em entrevista publicada hoje pelo The Banker, uma revista do grupo do jornal Financial Times, estar a estudar o fim da indexação do kwanza ao dólar, mas acompanhando de perto a variação da moeda para garantir que não vai flutuar de forma descontrolada.
 
 
"Vamos olhar atentamente para a grande diferença entre a taxa de câmbio oficial e a paralela, e considerar deixar que a moeda flutue, mas isso será feito com um olhar atento para garantir que o kwanza não fique descontrolado".
 
 
Na entrevista, o ministro das Finanças angolano diz que o país tem "carregado um fardo pesado por ter mantido uma taxa fixa face ao dólar desde abril de 2016", o que originou um enorme desfasamento entre a taxa oficial, de 166 kwanzas por dólar, e os cerca de 430 kwanzas por dólar nas transacções feitas no mercado paralelo.
 
 
Comentários
Quer Comentar?
Nome E-mail ou Localização
Comentário
Aceito as Regras de Participação
Foto-Destaque
Foto-Destaque
Questionário