É Carnaval
13-02-2018 | Fonte: JA
 A diversidade cultural dos grupos carnavalescos de Benguela, Cabinda,  Cuanza Sul, Lunda Norte e Huambo , é apresentada hoje a partir das 17h00, no desfile central do Entrudo da classe A (adulto), na Marginal da Praia do Bispo. Depois dos ensaios, ontem, no local do desfile, os grupos, capricharam nos detalhes para apresentarem uma core-ografia que consiga espelhar a grandeza cultural das suas localidades.
 
O União Jovens da Ca-cimba, como homenageado desta 40ª edição, tem a honra de abrir a festa, embora não participe na competição, se-guindo-se em ordem os gru-pos Maringas (Lunda-Norte), Tchaco-Tchaco (Cabinda), Ovinjenji (Huambo), União Muteba (Cuanza Sul) e Bravos da Victória (Benguela), aos quais está reservado  entre 10 a 15 minutos de exibição.
 
O grupo Tchaco-Tchaco, de Cabinda, trouxe a Luanda 80 integrantes e vão apresentar o estilo de música e dança “mayeye” da região dos Bayoyo. Nem mesmo as altas temperaturas registadas na manhã de ontem “beliscaram” a vontade dos grupos em aprimorarem os últimos pormenores de dança.
A organização disponibilizou bastante água, para hidratar os integrantes dos grupos. Os ensaios correram bem, testemunhado pelo governador de Luanda, Adriano Mendes de Carvalho, que foi supervisionar as condições no local e dar as boas-vindas aos grupos convidados.
 
 
Na presença dos representantes dos grupos carnavalescos das províncias, membros da Comissão Preparatório do Carnaval de Luanda e da Associação Provincial do Carnaval de Luan-da (Aprocal), foi feito o ensaio da ordem do desfile com todos os grupos.
 
 
Elizabeth Tapioa, que acompanha o grupo de Ca-binda, disse que está a ser uma experiência positiva trocar experiência com outros grupos na justa me-dida em que permite ter-se uma visão diferente sobre o que se faz noutros pontos do país. “Queremos mostrar a força das nossas tradições, hábitos e costumes”, assegurou Elizabeth Tapioa.
 
 
O grupo vai apresentar o ritual “tchicumbe”, realizado na fase em que as mulheres atingem a puberdade e passam pela casa de tinta. A culinária típica de Cabinda também vai estar em evidência no decorrer do desfile.
Por sua vez, a responsável do grupo Os Bravos da Vitória, Gi-zela Santos, agradeceu ao Ministério da Cultura pelo convite e reconhecimento do trabalho que tem estado a desenvolver em Benguela, desde 1978.
 
 
 O grupo é o papão dos títulos de Carnaval, com 26 títulos de primeiro classificado, em 39 participações. Na Marginal da Praia do Bis-po, o grupo far-se-á presente com 190 elementos. Foi fundado na Catumbela, em Mar-ço de 1978, por Mário Alívio dos Santos.
 
 
O presidente do grupo “Ovinjenji”, do Huambo, Pascoal Pedro Nhanga disse que vão fazer um resumo da história do reino da Chiaca, fundado pelo rei Chilulo Vangue-Vangue. Trata-se da abordagem de aspectos atinentes ao dia-a-dia de um aglomerado do povo do Bié que se instalou no Huambo à procura de melhores condições de vida.
 
 
No que tange ao do grupo “Maringas”, da Lunda Norte, o seu presidente, Zito Joãozinho, explicou que foi  fundado em 2002 e tem um elenco de cerca de 80 foliões que pretendem abordar as-pectos importantes da cultura daquela região.
 
 
Uma mistura de música, dança e teatro conforma a novidade do grupo do Cuanza Sul que, segundo o seu presidente, José Gonzaga Neto vai homenagear a mulher rural pelo contributo prestado à sociedade.
 
 
Comentários
Quer Comentar?
Nome E-mail ou Localização
Comentário
Aceito as Regras de Participação