Jogo de cartaz termina com nulo
15-04-2018 | Fonte: Angop
O desafio mais esperado da décima jornada do campeonato nacional de futebol da I divisão, Girabola2018, entre o 1º de Agosto e o Petro de Luanda, disputado, sábado, no estádio 11 de Novembro, nesta cidade, terminou com empate a nulo, perante cerca de 20 mil torcedores. 
 
O desafio de maior cartaz da ronda entre as duas melhores equipas do país começou com algum estudo mútuo dos intervenientes com o objetivo de procurarem soluções ofensivas.
 
 A partir do décimo minuto, após o período de análise, a formação militar (campeã nacional), começou a chegar mais vezes a área petrolífera com algum perigo, com o médio ofensivo Geraldo a comandar a orquestra.
 
 Aos 24 minutos, o técnico do 1º de Agosto fez uma substituição forçada por limitações físicas do nigeriano Razak, que cedeu a sua posição ao congolês democrático Jacques.
 
Aos 32 minutos, o Petro criou uma instabilidade na área do 1º de Agosto, com o brasileiro Tiago Azulão a cruzar para a área onde estava Francis, mas o guarda-redes Neblu antecipou-se e impediu que a sua baliza fosse violada.
 
Aos 39 minutos, o jogador Mira do Petro agrediu o seu adversário Fofo, sem bola, mas nenhum membro de arbitragem viu esta infração que limitou o juiz Rodrigues Aleixo a chamada apenas de atenção ao infractor.
 
A passagem do 42º minuto, o guarda-redes Neblu teve uma saída falsa que quase resultou em golo o ataque petrolífero, mas os seus companheiros lá estiveram para neutralizar esta jogada.
 
O resultado nulo foi até ao fecho do primeiro período do desafio dirigido por Rodrigues Aleixo, que viajou do planalto centra, Huambo.
 
 Após o descanso necessário, os 22 jogadores reentraram apenas com a única alteração operada aso 24 minutos pelo 1º de Agosto.
 
Aos 54 minutos, os campeões nacionais estavam perto do golo, com Fofo a rematar forte, mas teve a oposição do guarda-redes Gerson que desviou a bola para o canto.
 
Os militares fruto da pressão que foram exercendo junto a baliza do Petro criaram mais uma situação de perigo, mas a jogada não teve sequencia desejada devido a antecipação de um defensor.
 
Aos 73 minutos, o juiz expulsou o treinador do Petro de Luanda, Beto Bianchi, ao que tudo indica por discordar com alguma decisão.
 
Já na ponta final da partida, no período de compensação, o Petro quase sofreu um auto-golo por mau desvio de um seu defensor.
 
O resultado nulo não alterou até ao apito final.
  
 
 
Comentários
Quer Comentar?
Nome E-mail ou Localização
Comentário
Aceito as Regras de Participação
Foto-Destaque
Foto-Destaque
Questionário