Dívidas das empresas públicas retrai investimento estrangeiro - diz especialista
18-04-2018 | Fonte: OPAÍS
O financiamento das empresas com garantia do Estado influência cada vez mais a avaliação dos “rating” de países emergentes, como é o caso de Angola. A afirmação é de Ana Cristina de Sousa, contabilista e consultora empresarial. A especialista fez esta declarações recentemente, em Luanda, quando ministrava uma palestra subordinada ao tema “Financiamento das Empresas Públicas”, num dos auditórios da Universidade Privada de Angola (UPRA).

Segundo a consultora, quanto mais dívidas as empresas públicas contraem, mais o Estado cria dívidas, o que condiciona os investimentos estrangeiros no país. Ana Cristina de Sousa referiu que um medida a ser tomada para a redução do nível de dívidas das empresas públicas passa por uma gestão mais autónoma, actuante e transparente dos gestores públicos.

“Uma empresa pública deve ter o costume de apresentar os seus relatórios e contas, de modos a ter uma gestão mais transparente. As dívidas contraídas pelas empresas públicas espelham o nível de prestação de contas das mesmas”, disse. O grande crescimento da dívida de entidades relacionadas com o Governo e do crédito das empresas públicas coloca em risco os investimentos estrangeiros e o financiamento à economia. “Há cada vez mais necessidade de haver credibilidade na prestação de contas para que o relato financeiro seja uma imagem verdadeira e apropriada da organização”, disse. Por outro lado, a especialista disse que a banca angolana ainda tem limitações para concessão de financiamento às empresas públicas.

O que é o “Rating”

Rating é uma nota que as agências internacionais de classificação de risco de crédito atribuem a um emissor (país, empresa, banco) de acordo com sua capacidade de pagar uma dívida. Serve para que investidores saibam o grau de risco dos títulos de dívida que estão adquirindo. Em geral, são três grandes níveis: grau de investimento (país seguro de investir), grau especulativo (risco de inadimplência) e default (quando o país declara moratória).

As principais agências no mundo são a Standard & Poor’s (S&P), a Fitch e a Moody’s, que levam em conta indicadores como gastos do Governo, dívida externa e política monetária. Essas notas influenciam decisões de investimentos no mercado internacional e a tendência é que, ao receber a classificação, o país atraia mais recursos estrangeiros. Além disso, cai o custo do Governo e até mesmo o de empresas privadas para captar recursos no exterior.
 
Comentários
Quer Comentar?
Nome E-mail ou Localização
Comentário
Aceito as Regras de Participação
Foto-Destaque
Foto-Destaque
Questionário