Fundos do BFA aumentam 44,6%
14-05-2018 | Fonte: Jornal Mercado
A adequação do capital social mínimo está longe de ser um handicap para os bancos de grande dimensão, embora o Banco de Fomento Angola (BFA) ainda não tenha anunciado o reforço, ao contrário do BIC, que aumentou o indicador em 20 mil milhões Kz (88,5 milhões USD), como declarou o seu PCA, Fernando Teles, em conferência de imprensa, na semana passada.

O ajuste do capital social mínimo, segundo o Aviso n.º 2/18, de 18 de Fevereiro, do Banco Nacional de Angola (BNA), resulta do actual contexto macroeconómico e financeiro, que exige um sistema bancário sólido, capaz de suportar choques ou efeitos da crise económica, iniciada em meados de 2014 com a queda do preço do petróleo no mercado internacional.

Os indicadores contabilísticos sinalizam que os cinco maiores bancos comerciais têm fundos para cumprir a medida do banco central, que impõe a constituição de um capital social mínimo no valor de 7,5 mil milhões Kz, a partir de 1 de Janeiro de 2019.

BCP dá sinal de recuperação

O BPC, apesar de estar num processo de reestruturação desde Março de 2017, com o crédito malparado a rondar os 500 mil milhões Kz, tem um capital social de 153,2 mil milhões Kz. A instituição liderada por Alcides Safeca, pioneira no sistema bancário nacional, tem o maior capital entre as cerca de 30 instituições do mercado. O capital social do BPC supera em larga escala o montante mínimo exigido pelo banco central, demonstrando que tem solidez para suportar efeitos da crise económica e financeira, agravada com a saída dos bancos correspondentes do País, que se reflectiu no mercado cambial.

O maior banco dá sinais de recuperação. No primeiro trimestre de 2018, anunciou uma linha de crédito para o sector produtivo no valor de 300 milhões USD. Do total, 70% são para financiar pequenas, médias e grandes empresas, 10% destinam-se à mulher empreendedora, e 20% são para outras áreas e projectos de microempresas.

MA inova na banca

O Banco Millennium Atlântico (BMA) tem um capital social de cerca de 53,3 mil milhões Kz. Tendo em conta o montante exigido pelo BNA, concluise que a instituição liderada por Carlos Silva está preparada para suportar os efeitos da crise.

Este é, aliás, o banco comercial privado com a maior carteira de crédito (395,2 mil milhões Kz) em 2017. A taxa do rácio de transformação de créditos em depósitos foi de 49,3%, segundo cálculos do Mercado com base nos dados do balancete do IV trimestre, publicados na página oficial na Internet do BMA. O BMA é um dos bancos comerciais mais inovadores. Neste ano lançou o primeiro caixa automático que permite fazer depósitos de notas (de 500 a 3 milhões Kz por operação), e o “dinheiro fica imediatamente disponível na conta”, explica o BMA, em nota de imprensa.

BIC reforça capital

A posição do Banco BIC relativamente ao capital social melhorou, ao passar de 3 mil milhões Kz para 20 mil milhões Kz, demonstrando que é uma instituição de crédito com robustez para se manter no sistema financeiro, apesar da actual conjuntura. O banco de Fernando Teles está em todo o território nacional, com 227 balcões e 2067 colaboradores. Em 2017, o número de clientes chegou aos 1,4 milhões, segundo os resultados de exercício do ano passado, divulgados recentemente. Em 2017, o rácio de solvabilidade do BIC fixou-se em 15,96%, o que ilustra a solidez daquele que é um dos maiores bancos comerciais do sistema. Já os fundos próprios ascendem a cerca de 118,4 mil milhões Kz. O resultado líquido referente ao exercício 2017 foi de 34,3 mil milhões Kz, o que reflecte um aumento de cerca de 1,8%, face a 2016.

Fundos do BFA aumentam 44,6%

O BFA é outro dos bancos com fundos próprios elevados, ascendendo a cerca de 217,4 mil milhões Kz, valor suficiente para garantir o capital social mínimo exigido pelo banco central. O BNA, no mesmo aviso, recorde-se, permite que os bancos possam fazer o reforço através da “incorporação no capital social de reservas legais, reservas livres ou resultados do exercício, desde que auditados”. O BFA é o banco mais lucrativo do sistema bancário nacional. Só no primeiro trimestre de 2018, teve um resultado líquido de cerca de 57 mil milhões Kz, montante superior ao de muitos bancos durante todo o exercício de 2017Também é a instituição financeira com a maior carteira de títulos e valores mobiliários: no terceiro trimestre de 2018, estava avaliada em cerca de 811,04 mil milhões Kz. Terceiro ajuste do capital social A primeira adequação do capital social dos bancos nacionais, recordes e, ocorreu à luz do Aviso n.º 04/07, de 12 de Setembro do BNA, para 600 milhões Kz. Depois, através do Aviso n.º 14/2013, de 2 de Dezembro, o BNA ordenou o reajustamento do capital social dos bancos comerciais para 2,5 mil milhões Kz. Face ao actual momento, o capital social das instituições bancárias passou para 7,5 mil milhões Kz, como determina o Aviso n.º 2/18 de Fevereiro.
 
Comentários
Quer Comentar?
Nome E-mail ou Localização
Comentário
Aceito as Regras de Participação
Foto-Destaque
Foto-Destaque
Questionário