Futebol: Palancas dão passo importante rumo aos CAN2019
10-09-2018 | Fonte: Angop

Com golo de Gelson Dala aos 30 minutos, Angola venceu hoje, no estádio 11 de Novembro, a sua similar do Botswana, na segunda jornada do grupo I de apuramento ao CAN2019 nos Camarões. O cenário mostrava um público expectante, com largos meses sem ver os Palancas Negras jogar em casa e que neste regresso, eram obrigados a vencer.


A selecção nacional, que perdeu na abertura da campanha no reduto do Burkina Faso, apresentou uma equipa inicial com sete jogadores que disputaram o último Girabola.


Hoje, com muitos mais apoiantes do que o habitual, começou por pressionar o adversário teoricamente mais acessível do grupo.


Decorridos seis minutos, Freddy, numa forte galgada, colocou a bola bem próximo da baliza contrária, sem que um dos seus companheiros desse sequência da melhor maneira ao lance.


Com um futebol mais virado para a ala esquerda, com Paizo a comandar o sector, os Palancas Negras procuravam visar a baliza contrária nas sucessivas oportunidades que dispunham, sempre bem apoiados pelos mais de 40 mil adeptos.


Aos 30 minutos Gelson Dala, a viver um grande momento de forma, marcou o primeiro golo na sequência de uma jogada que envolveu Freddy e Mira.


Tratou-se de uma jogada sem grande perigo mas com uma finalização que surpreendeu o adversário, com remate de pé esquerdo muito colocado, à entrada da área.


Com o jogo acentuado nas alas com Mira e Paizo, como "arquitectos", Angola não conseguia transformar em golos as oportunidades. Nessa fase de jogo registava-se algum nervosismo no seio do combinado nacional, dada a forma muito aguerrida como o Botswana defendia.


Apesar de ter margem para marcar mais golos, os Palancas Negras saíram ao intervalo com a vantagem de apenas 1-0.


Na segunda parte foi o adversário que começou a desenhar de maneira diferente a forma de jogar, tirando um médio defensivo para lançar Mosha Gaoladwe, com características ofensivas.


Aos 54 minutos, com alguma falta de frieza e serenidade e certa falta de crença, Gelson Dala, já com o guarda-redes contrário batido, não conseguiu ampliar o marcador.


Apesar de evidenciar algum desgaste físico, Angola apenas efectuou a primeira substituição aos 70 minutos com a saída de Mateus Galiano que cedeu lugar a Job. Nove minutos mais tarde, Mário fez a sua estreia absoluta ao render Djalma Campos.


À passagem dos 77 minutos, Onka Betse, muito esclarecido, quase silenciava 11 de Novembro, ao obrigar o guarda-redes Landu a uma defesa onde foram testados o seus reflexos. O esférico ressaltou na trave.


Os últimos 10 minutos, o sonho de, pelo menos, empatar o jogo esteve visível no comportamento do tswaneses, que remeteram os angolanos a mais cautelas defensivas a fim de segurar a magra vantagem até aos três minutos de compensação.


A vitória de hoje permite Angola (três pontos) relançar as esperanças de qualificação. A Mauritânia, que sábado derrotou por 2-0 o Burkina Faso (3 pts), lidera com seis pontos, enquanto o Botswana é último sem pontuar.

 
Comentários
Quer Comentar?
Nome E-mail ou Localização
Comentário
Aceito as Regras de Participação