PGR já está a investigar Higino Carneiro
05-10-2018 | Fonte: NJ

Alvo de uma série de desinformações nos últimos 15 dias, na sequência das detenções que ocorreram na esfera governativa por suspeitas de actos de corrupção, Higino Carneiro é apontado, por fonte bem posicionada do Novo Jornal, como estando na “linha de sucessão” dos desdobramentos da «cruzada» contra a corrupção, estando neste momento na Procuradoria-Geral da República (PGR) uma participação que deverá dar lugar a um processo-crime a qualquer altura que se julgar oportuno.

A fonte, que não precisou a origem da participação contra o actual vice-presidente da Assembleia Nacional e o último governador de Luanda no executivo de José Eduardo dos Santos, assegurou a este jornal que existe, “sim”, um processo que corre investigação na PGR, mas admitiu que o mesmo ainda não foi notificado, nem constituído arguido.


Contactada pelo Novo Jornal, a PGR recusou-se a “comentar boatos de Internet ou alimentar especulações a respeito de processos que não trouxe a público”. A fonte da PGR recusou-se também a comentar um alegado pedido de levantamento da imunidade de Higino Carneiro enviado ao Parlamento angolano.


“Todos os casos que estão em instrução preparatória ou já pronunciados que correm trâmites no Ministério Público foram dados a conhecer. Portanto, não comentamos notícias postas a circular nas redes sociais sobre casos que não foram por nós avançados”, dis- se a fonte da PGR.


Entretanto, a fonte deste jornal, que avançou a informação da participação contra o antigo governante, afirma ser “normal” que a PGR não queira ainda dar conta do processo pelo facto de este se encontrar ainda em segredo de justiça.


Há um processo em andamento, isto é um facto. Agora é natural que, nesta fase, e porque o visado não foi ainda notificado, é normal que ainda não se queira abordar o assunto publicamente, de modo a não ferir direitos e garantias do cidadão Higino Carneiro”, explicou a fonte a este jornal.


Nos últimos meses, o nome de Higino Carneiro foi ventilado em razão de 115 milhões de dólares que estão por se justificar no Ministério da Construção e Obras Pú- blicas, numa altura em que era o titular daquele departamento ministerial.


O actual Governo da Província de Luanda teria ainda detectado um buraco de sete mil milhões de kwanzas na gestão de Higino Carneiro.

 
Comentários
Quer Comentar?
Nome E-mail ou Localização
Comentário
Aceito as Regras de Participação