Igrejas ilegais fecham portas em Novembro
12-10-2018 | Fonte: Jornal Vanguarda

As confissões religiosas que actuam ilegalmente em Angola começam a ser encerradas a partir de Novembro.


De acordo com Francisco de Castro Maria, o director nacional dos Assuntos Religiosos do Ministério da Cultura foram dados 30 dias para as confissões religiosas regularizarem a situação, findo o período estipulado, as medidas previstas na lei vão ser aplicadas nos prazos estabelecidos.


Durante a Conferência Internacional sobre a Problemática do Fenómeno Religioso em Angola, que decorre em Luanda, o responsável disse que a medida passa a ser aplicada 30 dias à publicação no Diário da República, a 4 de Outubro, do Decreto Executivo Conjunto número 1/18, daí a escolha do mês de Novembro.


O Ministério da Cultura tem registado 84 igrejas e 1.106 aguardam reconhecimento legal. O director do INAR sublinhou que existem igrejas que foram extintas por causa da anulação das plataformas ecuménicas que controlavam cerca de 2006 confissões.


Em seu entender, o número de igrejas ilegais no país pode chegar a quatro mil, na medida em que “existem muitas fora do nosso controlo”.


Castro Maria afirmou que mais de 50 por cento das igrejas implantadas no país são estrangeiras, provenientes da República Democrática do Congo, Brasil, Nigéria e Senegal.

 
Comentários
Quer Comentar?
Nome E-mail ou Localização
Comentário
Aceito as Regras de Participação
Foto-Destaque
Foto-Destaque
Questionário