Polícia trava manifestação de ex-trabalhadores da Brigada de Limpeza da Presidência da República
18-10-2018 | Fonte: NJ

A Polícia Nacional (PN) dispersou, na manhã de hoje, em Luanda, uma marcha de ex-trabalhadores da Brigada de Limpeza da Casa de Segurança da Presidência da República, que seguia para o Palácio presidencial, em protesto pelo atraso no pagamento das suas indemnizações.


Os cerca de 200 manifestantes não conseguiram transpor a barreira dos efectivos da PN, tendo ficado retidos na Rua 1.ª Congresso do MPLA.


O NJOnline apurou no local que os responsáveis máximos da manifestação foram conduzidos até ao gabinete da Casa Civil da Presidência da República, onde estarão em negociações para chegarem a um entendimento.


Em causa está o pagamento de indemnizações a 1.840 trabalhadores que foram despedidos em 2010 e que, desde então, têm estado a lutar para receber os valores, mesmo depois de o tribunal lhes ter dado razão.


Segundo apurou o NJOnline, os manifestantes exigem uma indemnização de cerca de 12 milhões de Kwanzas para cada um dos ex-trabalhadores, quando a Casa de Segurança da Presidência da República pretende pagar apenas 150 mil Kz por cabeça.


Recorde-se que, em Janeiro deste ano, o ministro de Estado e Chefe da Casa de Segurança do Presidente da República garantiu que a situação seria resolvida ainda nesse mês.


O diferendo envolve, para além dos ex-trabalhadores da Brigada de Limpeza, antigos funcionários de outras duas empresas criadas pelo ex-Presidente angolano, José Eduardo dos Santos, nomeadamente a Brigada de Construções Militares e Unidade da Guarda Presidencial.


Despedidos sem aviso prévio e sem direito a indemnizações, os ex-funcionários continuam a reivindicar os seus direitos.

 
Comentários
Quer Comentar?
Nome E-mail ou Localização
Comentário
Aceito as Regras de Participação