Corrida a bolsas de estudo ''entopem'' Sonangol
09-08-2005 | Fonte: VOA
Mais de 13 mil jovens angolanos, nove mil dos quais em Luanda, estão a concorrer para duzentas vagas de bolsas de estudo internas e externas a atribuir pela SONANGOL sob a responsabilidade da empresa de consultoria em recursos humanos Emosist que começou hoje a examinar os seleccionados da capital. Os candidatos foram distribuídos em turmas de trinta com materias diferentes por turma e horário. O teste é composto por uma parte de cultura geral, psicotécnico e noções de matemática e deve ser concluído em cerca de duas horas.

As provas que deverão habilitar os jovens às bolsas da SONANGOL foram já realizadas nas províncias do Huambo e Huíla. Depois de Luanda os examinadores da Emosist vão avaliar os candidatos das províncias do Zaire e Cabinda.

As candidaturas foram efectuadas no passado mês de Maio e foi como que uma resposta da petrolífera angolana a uma massiva e contínua solicitação de pretendentes a cursos superiores com alguma dificuldade financeira, ou nem tanto, a que a SONANGOL abraçou depois de ter anunciado que deixaria de oferecer bolsas de estudo.

A SONANGOL é no país a empresa que arca com a maior despesa em assistência e ajuda a estudantes. Além dos que estudam em Angola e pelo mundo fora a petrolífera angolana suporta os gastos de mais de dois mil bolseiros.

A Sociedade de Combustiveis de Angola não patrocina apenas cursos ligados directa ou indirectamente a sua principal actividade, a indústria de hidrocarbonetos , mas também outras especializações desde à medicina ao direito.

Para a prestação das provas, que decorrem na escola portuguesa em Luanda, a Emosist permite que os candidatos se façam acompanhar de uma calculadora simples de forma a facilitar os cálculos matemáticos que roubam bastante tempo às outras matérias do teste.

Os testes hoje iniciados em Luanda decorrem ate ao próximo dia 26 do corrente nos dois períodos do dia, tal o número de concorrentes que já foram submetidos a uma triagem inicial baseada na apresentação completa dos documentos e pré-requisitos solicitados. A avalanche de jovens interessados em prosseguir os seus estudos superiores com o patrocínio da concessionária petrolífera angolana é o reflexo das contradições sociais existentes no país, com uma minoria super rica e uma maioria com cada vez menos recursos para fazer face às necessidades mais básicas, como garantir uma refeição diária.

A Universidade pública já se mostrou incapaz para responder à tão elevada demanda de alunos que concluem o ensino médio e pretendem continuar os seus estudos, e as escolas privadas cobram propinas insuportáveis para a grande maioria das famílias angolanas.

O facto tem ainda a ver com a falta de emprego para os jovens, contrariando discursos optimistas dos governantes. Numa recente feira do emprego, realizada em Luanda, foram mais de vinte mil o número de pessoas que tentaram a sua sorte, sendo que a maioria continua à espera que o sol quando nascer também lhes sorria.

De notar que os mais de treze mil candidatos a bolsas de estudo da SONANGOL são todos para cursos superiores.
 
Comentários
Quer Comentar?
Nome E-mail ou Localização
Comentário
Aceito as Regras de Participação
Foto-Destaque
Foto-Destaque
Questionário
A CASA de Abel Chivukuvuku:
  • Vai reforçar a prática da democracia
  • Não vai trazer nada de novo
  • Vai retirar eleitorado ao MPLA
  • Vai retirar eleitorado a UNITA
  • Vai retirar eleitorado ao MPLA e a UNITA