Médicos angolanos ameaçam ir para a greve
16-02-2019 | Fonte: RFI

Mais de cem médicos angolanos manifestaram sábado nas ruas de Luanda, e noutras cidades do País, para exigir melhores condições de trabalho, ao mesmo tempo que pediram aumento de salários, e a colocação de 1.500 colegas que se encontram no desemprego.


Os médicos angolanos vieram para as ruas da capital, mas também manifestaram noutras cidades do País, pedindo que o Ministério da Saúde cumpra o seu caderno reivindicativo, e prometeram entrar em greve, se tal não for o caso.


Os manifestantes exibiam cartazes onde se podia ler : "Governantes, façam consultas nos hospitais públicos", ou então "Exigimos boas condições de trabalho e de vida".


Segundo o Sindicato Nacional dos Médicos, esta é a resposta ao silêncio do Governo quanto às suas profissões, salários e condições de trabalho, e não excluem a possibilidade de iniciar um grupo de acções que podem culminar com um movimento de greve.


Segundo disseram, vão aguardar até 2 de Março que o Governo manifeste vontade para negociar, e se isso não acontecer, tomarão, decerto, a decisão de decretar uma greve.


Recorde-se que, em Novembro de 2018, os médicos tinham realizado uma greve de três dias, que a entidade patronal considerou então ilegal.

 
Comentários
Quer Comentar?
Nome E-mail ou Localização
Comentário
Aceito as Regras de Participação