Os adversários de Angola na CAN 2019
29-04-2019 | Fonte: AN

Seis anos depois, a seleção angolana regressa à fase final de uma edição da Taça das Nações Africanas, prova que vai disputar pela oitava vez na sua história. A equipa nacional vai ter pela frente as congéneres do Mali, da Mauritânia e da Tunísia.

O "jejum" chegou ao fim. Depois de terem falhado o apuramento para as edições de 2015 e 2017 da Taça das Nações Africanas, os "Palancas Negras" estão de regresso à competição de seleções mais importante do continente. Ausente tanto na Guiné-Equatorial (2015) quanto no Gabão (2017), a seleção vai estar no Egito, nação que recebe a competição de 21 de junho a 19 de julho.


O sorteio da fase de grupos, realizado a 12 de abril, colocou a equipa no grupo E, juntamente com as seleções de Mali, Mauritânia e Tunísia. Olhemos para o histórico das adversárias em edições anteriores da competição.


Tunísia, Mali e Mauritânia

Das quatro seleções que vão estar a concurso no grupo E, só uma conquistou a Taça das Nações Africanas até aos dias que correm. Em 2004, a Tunísia organizou e venceu a competição pela primeira e única vez, ao derrotar Marrocos na final (2-1). Antes disso, já tinha sido finalista derrotada por duas vezes, em 1996 e 1965. Presença assídua em fases finais da competição, a Tunísia, tida como favorita a vencer o grupo no mundo das apostas desportivas, esteve em todas as edições dos últimos 20 anos e foi uma das representantes do continente africano no Mundial 2018, disputado na Rússia.

À semelhança do que acontece com Angola, a seleção do Mali nunca conquistou a Taça das Nações Africanas. O melhor registo verificou-se em 1972, nos Camarões, numa edição em que os malianos perderam com o Congo por três bolas a duas. Recentemente, o Mali conseguiu chegar ao pódio por duas vezes, de forma consecutiva e curiosamente "à custa" do Gana em ambas as ocasiões - em 2012, venceu por duas bolas a zero, ao passo que em 2013 levou a melhor por três a um. O Mali falhou o apuramento para a fase final de uma Taça das Nações Africanas pela última vez em 2006, curiosamente, numa edição que também foi discutida em solo egípcio.

Por último, mas não menos importante, a Mauritânia, seleção que apresenta um "curriculum" mais modesto comparativamente às restantes três que integram o grupo, ou não se tratasse de uma das seleções que vão cumprir a sua estreia na fase final da prova, juntamente com as congéneres de Burundi e Madagáscar.

 
Comentários
Quer Comentar?
Nome E-mail ou Localização
Comentário
Aceito as Regras de Participação