Fusão entre BNI e Finibanco reforça financiamento à economia
12-05-2019 | Fonte: JA

Os especialistas do sector bancário garantem que a possível fusão entre o Banco de Negócios Internacional (BNI) e o Finibanco, anunciada esta semana, vai reforçar a posição das instituições no mercado financeiro nacional.


O presidente da Associação Angolana de Bancos (ABANC), Amílcar Silva, encara a decisão como estratégia das instituições, uma vez que um dos accionistas do BNI possui acções no banco português Finibanco. “Esta fusão tem uma certa lógica porque são bancos que podem complementar-se e unir esforços para garantir a existência de uma única instituição mais bem preparada para financiar à economia”, explicou.


Amílcar Silva olha a fusão das duas instituições como normal, descartando uma possível tendência do mercado financeiro angolano face a conjuntura actual. “O importante nestas fusões é mobilizar mais recursos financeiros que vão apoiar projectos para desenvolver a economia angolana”, referiu o economista.


Relativamente ao programa do Banco Nacional de Angola (BNA), que pretende até ao final de Setembro, realizar avaliações de qualidade aos activos de 12 bancos nacionais, afirmou que a iniciativa reforça a actuação das instituições, numa altura em que a conjuntura económica é desfavorável.

Amílcar Silva referiu que, periodicamente, o BNA realiza a avaliação dos activos dos bancos para aferir a informação das instituições fornecidas ao banco central.

 
Comentários
Quer Comentar?
Nome E-mail ou Localização
Comentário
Aceito as Regras de Participação