Zap chega a Portugal com mais produção na calha
12-05-2019 | Fonte: Dinheiro Vivo

Canal que se estreiou na grelha da NOS no sábado é só parte dos planos de expansão da Zap, diz o diretor-geral, José Carlos Lourenço. A “pedido de muitas famílias” e por ser uma nova oportunidade para “os anunciantes poderem comunicar, de forma integrada e muito profissional, neste triângulo que se desenha entre Angola, Moçambique e Portugal”.


Em conversa com a Meios & Publicidade, depois de ter inaugurado a produtora Zap Estúdios, o diretor-geral do grupo angolano (onde a NOS detém uma participação de 30%), José Carlos Lourenço, explica as razões da expansão. E se considera que este passo é “um desenvolvimento natural”, o gestor está convicto do potencial que daqui pode nascer para este triângulo geográfico que fala a mesma língua.

Nesses planos, o investimento na criação do Zap Estúdios tem um papel de relevo. Com 2,5 mil metros quadrados e uma equipa de 250 pessoas, “é um verdadeiro centro de excelência, dotado da mais recente tecnologia e com uma equipa que, sendo em média muito jovem, tem uma excelente formação e um nível de desempenho muito elevado”, descreveu José Carlos Lourenço àquela publicação, para justificar a possibilidade de avançar para mais horas de emissão, reforço e diversificação de produção própria.

O caminho em que estes passos serão dados terá especial ênfase no “infotainement, com informação sobre a atualidade, espaços de análise, debate e reflexão”. Contando já com “distribuição por satélite em Angola e em Moçambique e uma operação de fibra na província de Luanda”, a operadora angolana conseguiu já chegar à liderança nesses dois mercados e tem perspetivas de continuar a fazer crescer o negócio. E Portugal é, conclui, um passo nesse caminho. “Como somos ambiciosos, outras etapas certamente se seguirão”, antecipa José Carlos Lourenço na mesma entrevista.

 
Comentários
Quer Comentar?
Nome E-mail ou Localização
Comentário
Aceito as Regras de Participação