Falta de investimentos levou a "declínio da produção petrolífera" em Angola
23-05-2019 | Fonte: Lusa

A Agência Nacional de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (ANPG) de Angola indicou quarta-feira, em Luanda, a "falta de novos projetos e de investimentos" na exploração petrolífera como as "grandes consequências para o declínio da produção" desde 2014.


"Começámos a ter alguns problemas que hoje acabamos por nos ressentir. A falta de investimentos na exploração e a falta de novos projetos são as grandes consequências para que hoje tenhamos esse declínio de produção, porque não temos novas reservas para substituir", disse Natacha Massano, administradora da ANPG.


A responsável da ANPG falava sobre as "Perspetivas da Produção Petrolífera em Angola" durante a conferência sobre sustentabilidade das reservas Internacionais, promovida em Luanda pelo Banco Nacional de Angola.

Segundo a administradora da ANPG, Angola está atualmente com uma produção de 1,4 milhões de barris de petróleo/dia, salientando que o país "vem de uma queda acentuada de produção por diversos motivos".


"Entre eles, uma redução de atividade petrolífera, menos investimento na exploração e os investidores passaram a ser mais conservadores na sua intervenção em termos de programas de trabalho, que acabou por afetar a nossa produção", realçou. Contudo, Angola prevê produzir, de 2019 a 2025, "cerca de 3.000 milhões de barris de petróleo dos quais o Estado vai apenas beneficiar em cerca de 35%, sendo que 20% serão receitas das concessionárias e 15% dos impostos dos investidores", acrescentou.

 
Comentários
Quer Comentar?
Nome E-mail ou Localização
Comentário
Aceito as Regras de Participação