Imobiliário “refém” dos juros elevados e da instabilidade cambial
24-05-2019 | Fonte: Jornal Mercado

O mercado imobiliário continua pouco dinâmico. As dificuldades de financiamento, os juros elevados e a instabilidade cambial continuam a ter efeito negativo retraído a dinâmica no sector, revela o recente estudo “Flash Mercado Imobiliário Angola 2018-2019” da empresa de avaliação imobiliária Prime Yield.


“A procura está menos dinâmica, resultando numa oferta superior aos níveis de absorção, no adiamento de novos projectos e na diminuição generalizada do investimento. Este desequilíbrio tem-se reflectido nos preços e rendas, que continuam a decrescer.


Ainda assim, o imobiliário continua a ser visto como um investimento de protecção face à desvalorização cambial”, explica o director da Prime Yield, Valdire Coelho.


O estudo revela que mercado de escritórios, Luanda registou uma absorção contida, mantendo-se o percurso de contracção dos preços e rendas, com descidas que se situaram (em ambos os casos) entre os 16% e os 22% nas diferentes zonas. O CBD continua, contudo, a apresentar alguma resistência em ajustar os preços de venda (descida de apenas 2%), embora nas rendas se verifique uma descida de 16%. “Existe maior abertura ao ajuste das rendas como forma de rentabilizar os activos e minimizar as perdas de investimentos realizados, e o mercado de ocupação já começou a dar alguns sinais de maior dinamismo no final de 2018”, aclara a consultora imobiliária.


Nacionais compram mais habitações


Já no segmento residencial, os compradores domésticos mantiveramse como o público mais activo, depois de anos em que os expatriados foram o principal motor de procura residencial. Este último grupo continua em retracção, mas também a procura nacional abrandou ligeiramente face ao ano anterior, sobretudo por dificuldades no acesso ao crédito à habitação.


Assim, os preços médios continuaram a descer quer nos apartamentos T3 em Ingombota (-6%) quer nas moradias V3 em Talatona (-3%), embora de forma suave. “O cenário económico desfavorável dos últimos anos tem tido muito no mercado imobiliário, especialmente devido às dificuldades de financiamento, juros elevados e a instabilidade cambial”, comenta Valdire Coelho. Paralelamente, verifica-se uma redução generalizada do investimento e o adiamento de novos projectos”.

 
Comentários
Quer Comentar?
Nome E-mail ou Localização
Comentário
Aceito as Regras de Participação